Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/980905
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amapá - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2013
Type of Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Authors: GOMES, E.
NEVES, E.
FURTADO, M.
PAIVA, P.
COSTA, J.
MACHADO, L.
GUEDES, M.
Additional Information: PAULO MARCELO VERAS DE PAIVA, CPAF-AP; MARCELINO CARNEIRO GUEDES, CPAF-AP.
Title: Castanha na roça: sinergia entre agricultura e extrativismo em uma unidade de conservação de uso sustentável - RESEX Cajari.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS, 9., 2013, Ilhéus. Políticas públicas, educação e formação em sistemas agroflorestais na construção de paisagens sustentáveis: anais. Ilhéus: SBSAF, 2013
Language: pt_BR
Keywords: Manejo da regeneração natural
Description: Este trabalho busca evidenciar a sinergia entre agricultura e extrativismo, demonstrando que existe um potencial produtivo de castanha da amazônia em áreas de roças e capoeiras provenientes da agricultura itinerante, que podem ser conduzidas como sistemas agroflorestais (SAFs). A partir do levantamento realizado em 14 comunidades da RESEX, foram inventariadas 90 áreas provenientes da agricultura com diferentes períodos de pousio. Dessas, 42 são capoeiras "abandonadas" e 48 são áreas que foram selecionadas, em 2012, para a agricultura. Nessas áreas foram encontradas 1.445 castanheiras (cast), a maior parte jovens, gerando uma densidade aproximada de 13 cast ha-1. A densidade nas capoeiras abandonadas foi de 17 cast ha-1 e nas capoeiras em cultivo foi de 8 cast ha1, confirmando que os castanheiros optam por colocar a roça em áreas com menor regeneração de castanheiras. Do total de castanheiras inventariadas, 7,4% são comprovadamente produtivas e muitas ainda não produzem frutos, mas já apresentam floração. Em algumas dessas áreas de capoeiras, os castanheiros já fazem a coleta dos ouriços. A interação, bem como a troca de conhecimento com os agroextrativistas, proporcionou uma compreensão melhor da realidade local e facilitou a realização do trabalho. A maior densidade de regenerações de castanheiras e maior crescimento nas áreas usadas para agricultura itinerante, do que dentro na floresta madura, justifica o manejo dessas áreas como se fossem SAFs, com a manutenção das castanheiras jovens no meio do roçado para formação de futuros castanhais.
Thesagro: Castanha
Data Created: 2014-02-21
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPAF-AP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CPAFAP2013Castanharoca.pdf193,48 kBAdobe PDFView/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace