Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1002382
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Monitoramento por Satélite - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 11-Dez-2014
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: GALDINO, S.
GREGO, C. R.
SILVA, J. dos S. V. da
Informaçães Adicionais: SERGIO GALDINO, CNPM; CELIA REGINA GREGO, CNPM; JOAO DOS SANTOS VILA DA SILVA, CNPTIA.
Título: Distribuição espacial da erosividade da chuva na Bacia do Alto Paraguai, Brasil.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: In: SIMPÓSIO DE GEOTECNOLOGIAS NO PANTANAL, 5., 2014, Campo Grande, MS. Anais... São José dos Campos: INPE, 2014. p. 211-219.
Idioma: pt_BR
Notas: Geopantanal 2014.
Palavras-chave: Bacia do alto Paraguai
Erosividade da chuva
Pantanal
Sistema de informação geográfica
Conteúdo: A erosividade da chuva é um índice numérico que expressa a capacidade das chuvas em provocar erosão hídrica no solo. O mapeamento da erosividade da chuva é instrumento prático e indispensável para o planejamento do uso do solo em escalas regionalizadas, como grandes bacias hidrográficas. O objetivo deste estudo foi avaliar a distribuição espacial do potencial erosivo anual da chuva para a Bacia do Alto Paraguai em território brasileiro (BAP), fornecendo informações básicas ao planejamento de uso e manejo sustentável do solo. Para isso, foram analisadas 125 estações pluviométricas localizadas na BAP e no seu entorno. A erosividade da chuva foi estimada para cada uma das estações a partir de equação de Fournier ajustada para condição de regime climático semelhante a da BAP. Na espacialização do potencial erosivo procedeu-se à interpolação dos valores de erosividade das estações pelo método do inverso do quadrado da distância. Posteriormente foram calculados valores médios de erosividade para polígonos de Thiessen das áreas de influência das estações pluviométricas. A erosividade anual na BAP variou de 5.112 a 9.215, com média de 6.806 MJ mm ha-1 h-1. A erosividade foi classificada como moderada a forte em 72% da BAP e em 28% da bacia o potencial erosivo das chuvas foi classificado como forte. Observou-se também aumento da erosividade no sentido sudoeste para nordeste. Os elevados valores de erosividade das chuvas na BAP, associados a áreas com relevo mais acidentado e solos mais susceptíveis a erosão constituem áreas de maior vulnerabilidade natural a erosão hídrica. O uso dessas terras deve ser criterioso para minimizar a erosão do solo e seus impactos para o Pantanal.
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CNPM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
4233.pdf8,76 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace