Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1003539
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 23-Dez-2014
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: SILVA, E. H. da
LINS, L. C. P.
HIROSE, E.
Informaçães Adicionais: EDER HENRIQUE DA SILVA, Uni-anhanguera; LUÍS CARLOS P. LINS, UFG; EDSON HIROSE, CNPSO.
Título: Avaliação do dano causado pelo percevejo marrom Euschistus heros (Heteroptera: Pentatomidae) em duas cultivares de soja.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 25., 2014, Goiânia. Entomologia integrada à sociedade para o desenvolvimento sustentável: anais. [Londrina]: SEB, 2014.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Entomologia
Conteúdo: O percevejo marrom Euschistus heros (Heteroptera: Pentatomidae) se destaca como o principal percevejo nas lavouras de soja por todo o país. Adultos e ninfas sugam as vagens, danificando os grãos, sendo seus danos irreversíveis em altas densidades populacionais. O objetivo deste trabalho foi avaliar os danos causados por E. heros em duas cultivares de soja em diferentes estádios reprodutivos da soja: R3 (início da formação das vagens), R5 (início do enchimento de grãos) e R6 (vagens cheias), com diferentes níveis de infestação (0, 1, 2, 4, 8 percevejos adultos.gaiola-1). O experimento foi conduzido com as cultivares de soja BRS 8160 RR (crescimento determinado) e BRS 8151 RR (crescimento indeterminado) na safra 2012-13, na área experimental da Embrapa Arroz e Feijão. Foram utilizadas gaiolas de contenção de 1 x 1 x 1 m instaladas a campo no final da fase vegetativa. O delineamento experimental foi fatorial, com cinco níveis populacionais em três estádios reprodutivos e quatro repetições. Por ocasião da colheita foi avaliada a produtividade da soja. Os dados foram submetidos à análise de variância, e as médias ao teste de Tukey (p ≤ 0,05). Os tratamentos (estádio-infestação) com as respectivas produtividades (kg.ha-1) foram: BRS 8161 RR: R3-0 - 2164,65; R3-1 ? 1818,85; R3-2 ? 1929,00; R3-4 ? 1964,82; R3-8 ? 1946,50; R5-0 ? 2164,65; R5-1 ? 2046,85; R5-2 ? 1741,60; R5-4 ? 2092,77; R5-8 ? 2058,57; R6-0 ? 2164,65; R6-1 ? 1707,87; R6-2 ? 1633,75; R6- 4 ? 1898,90; R6- 8 ? 1985,60 e BRS 8151 RR: R3-0 ? 2024,15; R3-1 ? 2210,32; R3-2 ? 1958,17; R3-4 ? 1971,67; R3-8 ? 2230,62; R5-0 ? 2024,15; R5-1 ? 2419,80; R5-2 ? 1716,22; R5-4 ? 2072,92; R5-8 ? 1742,10; R6-0 ? 2024,15; R6-1 ? 1887,42; R6-2 ? 2137,30; R6-4 ? 2104,90; R6-8 ? 2203,55. Com relação à produtividade não houve diferenças significativas entre os níveis de infestação, nas duas cultivares testadas.
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
silva...avaliacao.pdf161,5 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace