Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1009562
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Arroz e Feijão - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 24-Fev-2015
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: COSTA, L. F. dos S.
CUNHA, A. H. N.
FERREIRA, E. de M.
BRASIL, E. P. F.
FERREIRA, E. P. de B.
Informaçães Adicionais: LAYS FABIANA DOS SANTOS COSTA, UFG; ANANDA HELENA NUNES CUNHA, UFG; EDVALDO DE MELO FERREIRA, UFG; ELIANA PAULA FERNANDES BRASIL, UFG; ENDERSON PETRONIO DE BRITO FERREIRA, CNPAF.
Título: Aplicação de boro em feijoeiro e aspectos microbiológicos do solo.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: Revista Mirante, Anápolis, v. 7, n. 2, p. 157-167, dez. 2014.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: O feijoeiro é exigente em nutrientes em decorrência do seu sistema radicular reduzido e pouco profundo. O boro é um elemento essencial para o desenvolvimento participando de várias reações biológicas e sua ausência pode provocar grandes perdas de produtividade. Desta forma, o objetivo do trabalho foi verificar o efeito da aplicação de diferentes doses de boro, via foliar, em três estádios fenológicos de desenvolvimento do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e também as características microbiológicas do solo de acordo com essas dosagens. O trabalho foi realizado entre outubro/2013 e janeiro/2014, na Unidade Universitária de Ciências Exatas e Tecnológicas, em Anápolis, Goiás. O boro foi aplicado via foliar, em três estádios fenológicos do feijão: V2 (7 dias após a emergência - DAE), R5 (42 DAE) e R7 (63 DAE). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com doses: 0, 100, 200, 300 e 400 g ha-1 de boro; com 3 repetições, cada tratamento com 1 vaso com 2 plantas cada (total 15 vasos e 30 plantas). Foram coletadas nos estádios V2 e R7 para os tratamentos T1, T3 e T5 amostras de solo na camada de 0-0,10 m para a realização de análises microbiológicas de nitrogênio e carbono da biomassa microbiana, atividade enzimática total e respiração basal do solo. Após a colheita foram analisados medida de crescimento das plantas (Comp); volume das raízes (Vol); nº de grãos/vagens (ngrão); nº de vagens/planta (nvagem); massa fresca e massa seca da planta e produtividade. Os dados obtidos no trabalho foram submetidos à análise de variância através do teste F e teste de comparação de médias (Tukey) ao nível de significância de 5%. Não houve diferença significativa entre os valores de: Comp, nvagem, ngrão, para as análises microbiológicas do estádio R7 e no estádio V2 para respiração basal do solo. Para a produtividade houve diferenças significativas entre os tratamentos. A produção na dosagem de 300 g ha-1 de boro foi a maior com valor médio de 2.857,60 kg ha-1.
Thesagro: Feijão
Phaseolus vulgaris
Boro
Fertilidade do solo
Nutrição vegetal
Ano de Publicação: 2014
ISSN: 1981-4089
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPAF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
epf.pdf386,65 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace