Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1011738
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Pesca e Aquicultura - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 18-Mar-2015
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: PEDROZA FILHO, M. X.
BARROSO, R. M.
FLORES, R. M. V.
Informaçães Adicionais: MANOEL XAVIER PEDROZA FILHO, CNPASA; RENATA MELON BARROSO, CNPASA; ROBERTO MANOLIO VALLADAO FLORES, CNPASA.
Título: Effects of non-tariff barriers on brazilian fisheries exports to the European Union.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: Agroalimentaria, Caracas, v. 20, n. 39, p. 35-52, jul./dic. 2014.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: União Européia
Barreira não-tarifária
Conteúdo: As barreiras não-tarifárias (BNTs) afetam particularmente os países em desenvolvimento devido à maior dependência destes com relação aos mercados dos países desenvolvidos e também à sua menor influência nos fóruns de comércio internacional. As BNTs apresentam uma importância crescente no comércio mundial de pescados devido ao aumento nas transações internacionais. As exportações mundiais de pescados dobraram entre 1998 e 2008, passando de 51,5 para 101,9 US$ bilhões. Este artigo visa analisar o impacto das BNTs criadas pela União Europeia sobre as exportações brasileiras de pescados. A metodologia correspondeu à abordagem de inventário, integrada com o modelo ARIMA. Os dados se referem a barreiras técnicas obtidas na base de dados TRAINS/UNCTAD e a exportações brasileiras coletadas na base de dados ALICEWEB. Os resultados mostraram que estas medidas apresentam impacto negativo apenas para peixes frescos. Supõe-se que as BNTs impostas pela Europa ainda não têm efeitos relevantes sobre as exportações brasileiras. Mesmo para peixes frescos, não é possível afirmar com exatidão que a redução no volume foi causada pelas BNTs, porque outros fatores podem estar envolvidos. No entanto, o rápido aumento do número de BNTs às importações de pescados no mercado europeu representa um risco potencial para o crescimento das exportações brasileiras. Além disso, dado que grande parte da aquicultura brasileira está sendo desenvolvida dentro de ecossistemas complexos, como a Amazônia, existe a possibilidade de surgirem novas BNTs relacionadas a restrições ambientais. Estes resultados enfatizam a necessidade de incorporar outras variáveis na análise de BNT a fim de aprimorar a mensuração dos seus efeitos.
Thesagro: Peixe
Exportação
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPASA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
agroali.pdf1,95 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace