Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1013612
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Semiárido - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 15-Abr-2015
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: BARROS, J. R. A.
COELHO, W. C. P.
OLIVEIRA, N. P. dos S.
SILVA, R. M. e
ANGELOTTI, F.
Informaçães Adicionais: JULIANE RAFAELE ALVES BARROS, Estágiária da Embrapa Semiárido; WASHINGTON CARVALHO PACHECO COELHO, Estágiário da Embrapa Semiárido; NADJA PAULA DOS SANTOS OLIVEIRA, Estágiária da Embrapa Semiárido; RODRIGO MOURA E SILVA, Estágiario da Embrapa Semiárido; FRANCISLENE ANGELOTTI, CPATSA.
Título: Severidade do oídio da videira em diferentes períodos de poda.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 9., 2014, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2014.
Páginas: o. 263-268.
Série: (Embrapa Semiárido. Documentos, 261).
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Erysiphe necator.
Conteúdo: A videira (Vitis vinifera L.) é uma cultura de grande importância para o Semiárido brasileiro, tanto no aspecto econômico como no social. Objetivou-se com este trabalho avaliar a severidade do oídio da videira em diferentes períodos de poda em Petrolina, PE. O experimento foi conduzido em blocos ao acaso, constituído de seis épocas de poda. Em cada uma das épocas, a poda foi feita nas plantas de duas fileiras. Foram selecionadas dez plantas de cada fileira para a avaliação da severidade da doença. A ocorrência da doença foi monitorada semanalmente por meio de inspeção visual nas folhas, quantificando-se a incidência (número de folhas com sintomas) e a severidade (% da área foliar doente) da doença. Os dados de incidência e severidade foram submetidos à análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade. A severidade máxima foi de 73,11% na poda 5 e a mínima foi de 7,65% na poda 3. Os primeiros sintomas do oídio surgiram aos 43, 52, 43, 55, 71 e 73 dias, nas podas 1, 2, 3, 4, 5 e 6, respectivamente. A área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) apresentou diferença significativa entre as podas. A severidade da doença variou de acordo com a época de poda.
Thesagro: Uva
Doença
Oídio
Vitis Vinifera.
NAL Thesaurus: Grapes
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPATSA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Resumo37.pdf179,02 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace