Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1020873
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Meio Ambiente - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 29-Jul-2015
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: PEREIRA, L. C.
LOMBARDI NETO, F.
TOCCHETTO, M. R. L.
Informaçães Adicionais: LAURO CHARLET PEREIRA, CNPMA; FRANCISCO LOMBARDI NETO, IAC; MARTA REGINA LOPES TOCCHETTO, UFSM.
Título: Identificação dos níveis de sensibilidade ambiental na quadrícula de Ribeirão Preto, SP.
Edição: 2004
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO ACADÊMICO SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO DO RIO DE JANEIRO, 1., 2004, Rio de Janeiro/RJ. Administração para um desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro/RJ: Fundação Getúlio Vargas, 2004. p. 1-7.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Planejamento ambienta
Gestão ambiental.
Conteúdo: O uso indiscriminado das terras, sem levar em conta a sensibilidade dos sistemas e agroecossistemas, é uma das principais causas da degradação e perda de sua capacidade produtiva. Objetivou-se, com este trabalho, identificar os níveis de sensibilidade ambiental na área da quadrícula de Ribeirão Preto, SP. Esta área localiza-se na região nordeste do Estado, com extensão de aproximadamente 276.451 ha, estando circunscrita às coordenadas de 21º 00´ a 21º 30´ latitude Sul e 47º 30´ a 48º 00´de longitude Oeste. Abrange, total ou parcialmente, 17 municípios de elevada expressão econômica no Estado, caracterizados por intensa atividade agrícola (cana-de-açúcar, café, citros, pastagem, reflorestamento e culturas anuais). A metodologia adotada utilizou-se da Equação Universal de Perdas de Solo (EUPS) e do fator tolerância de perda de solo (T), gerando o Índice de Fragilidade, que permitiu a classificação e identificação dos diferentes níveis de sensibilidade da área de estudo. Os resultados indicaram que cerca de 72% da área, no nível tecnológico elevado, apresentaram-se com boa estabilidade ambiental (abrangendo as classes estável e muito estável) e apenas cerca de 14% foram classificadas como áreas frágeis e muito frágeis. A parir do estudo de sensibilidade, concluiu-se que a área estudada possui dominantemente boas características físico-ambientais e, conseqüentemente, baixo risco de degradação agroambiental.
Thesagro: Impacto ambiental
Desenvolvimento Sustentável.
Ano de Publicação: 2004
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CNPMA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2005AA062.pdf1,69 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace