Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1023531
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 9-Set-2015
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: ATHAIDE, L. G.
SILVA, J. A. R. da
PANTOJA, M. H. A.
CRUZ, Y. C. C.
ADAMI, C. O.
JOSET, W. C. L.
MARTORANO, L. G.
LOURENÇO JÚNIOR, J. de B.
Informaçães Adicionais: Letícia Godinho Athaide, MESTRANDA UFPA; Jamile Andréa Rodrigues da Silva, UFRA; Messy Hannear Andrade Pantoja, MESTRANDO UFPA; Yan Carlos Caldas Cruz, UFRA; Carla Osana Adami, UFRA; Waléria Cristina Lopes Joset, UFRA; LUCIETA GUERREIRO MARTORANO, CPATU; José de Brito Lourenço Júnior, UEPA.
Título: Adaptabilidade de equinos das raças Brasileiros de Hipismo e Sem Raça Definida às condições climáticas da Amazônia Oriental.
Edição: 2015
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA, 25., 2015, Fortaleza. Dimensões tecnológicas e sociais da zootecnia: anais. Fortaleza: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2015.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Equino
Estresse.
Conteúdo: Objetivou-se medir a adaptabilidade de equinos às condições climáticas da Amazônia Oriental, através da aplicação de teste de tolerância ao calor. A pesquisa foi conduzida no Centro Hípico (latitude 1°23'33.4" sul e longitude 48°24'27.6" oeste), Ananindeua, Pará, em setembro de 2014. Foram utilizados 12 equinos machos, sendo 8 da raça Brasileiro de Hipismo (BH) e 4 Sem Raça Definida (SRD), com cerca de 12±3 anos de idade e peso médio de 483,8 ± 39,3 kg, clinicamente saudáveis. A alimentação era realizada através de ração e pasto Tifton (Cynodon spp.) e Brachiaria brizantha cv. Marandu, além de água para beber à vontade. Foram registrados dados de variáveis climáticas para cálculo do Índice de Temperatura de Globo e Umidade (ITGU) e do Índice de Temperatura e Umidade (ITU). Os dados obtidos a partir das variáveis fisiológicas foram para aplicação do Índice de Conforto Térmico de Benezra (ICB). Foi constatada diferença significativa (P<0,05) para o ITGU e ITU entre os turnos, onde os maiores valores foram apresentados no turno da tarde. O ICB apresentou diferença significativa (P<0,05) entre os turnos, com maiores valores à tarde (3,0), quando comparado ao turno da manhã (1,9), entretanto, não houve diferença significativa do ICB entre as raças. Conclui-se que os equinos BH e SRD são adaptados ao clima da Amazônia Oriental, embora sofram desconforto térmico no turno da tarde
Thesagro: Cavalo
Clima.
NAL Thesaurus: Amazonia.
Ano de Publicação: 2015
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Equino.pdf164,68 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace