Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1053837
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 30-Set-2016
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: MOURA, R. C.
LAMEIRA, O. A.
COSTA, K. J. A.
ASSIS, R. M. A. de
SOUZA, S. B. P.
ALMEIDA, L. da S. S. de.
Informaçães Adicionais: Raíssa Couteiro Moura, GRADUANDA UFPA; OSMAR ALVES LAMEIRA, CPATU; Keila Jamille Alves Costa, GRADUANDA UFRA; Rafael Marlon Alves de Assis, GRADUANDO UFRA; Samara Bianca Pereira Souza, GRADUANDA Estácio-Faculdade de Castanhal; Lorena da Silva Souza de Almeida, GRADUANDA Estácio-Faculdade de Castanhal.
Título: Aspectos fenológicos de açoita-cavalo - Luehea divaricata Mart. (Tiliaceae).
Edição: 2016
Fonte/Imprenta: In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 20.; SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, 4., 2016, Belém, PA. Anais. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2016.
Páginas: p. 142-145.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Açoita-cavalo
Fenologia
Pluviosidade
Conteúdo: A espécie Luehea divaricata Mart. (Tiliaceae), conhecida popularmente como açoita-cavalo é arbórea e pode chegar até 30 m de altura. A ocorrência de açoita-cavalo vai desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul. Essa espécie possui diversas utilidades, como para construção de cadeiras, hélices de avião, caixotaria, móveis, molduras, construções internas e compensadas. Também é amplamente utilizada por comunidades tradicionais para fins medicinais. Este trabalho teve como objetivo analisar as fenofases de frutificação e floração do açoita-cavalo e verificar se há relação destas com a precipitação pluviométrica, com o objetivo de determinar quais os meses indicados para coleta de folhas e propagação da espécie. Foram selecionados 8 indivíduos de açoita-cavalo para as inferências fenológicas. Os valores de precipitação pluviométrica foram fornecidos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), utilizando-se a média acumulada mensal para o período de janeiro de 2012 a dezembro de 2015. Os meses com maiores médias de dias contendo fenofases foram outubro e novembro com 20,2 e 14,5 dias de floração e frutificação, respectivamente. O mês que obteve as menores médias foi julho com 5,2 dias de floração e 4,5 de frutificação. A precipitação pluviométrica influenciou na ocorrência de floração e frutificação. Julho é o mês mais indicado para coleta de folhas e os meses de outubro e novembro para coleta de sementes para propagação da espécie.
Ano de Publicação: 2016
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Pibic2016p142.pdf359,09 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace