Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1054737
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 17-Out-2016
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: RIPARDO FILHO, H. da S.
PACHECO, L. C.
ANDRADE, E. S.
RIBEIRO, W. da S.
GUILHON, G. M. S. P.
CORRÊA, M. J. C.
ROMERO, O. A. S.
SANTOS, L. S.
SOUZA FILHO, A. P. da S.
Informaçães Adicionais: Haroldo da S. Ripardo Filho; Luidi C. Pacheco; Edinaldo S. Andrade; Williams da S. Ribeiro; Giselle M. S. P. Guilhon; Marivaldo J. C. Corrêa; Oscar A. S. Romero; Lourivaldo S. Santos, UFPA; ANTONIO PEDRO DA SILVA SOUZA FILHO, CPATU.
Título: Phytotoxic activity of compounds from Moutabea guianensis aubl. on Amazonian invasive species.
Edição: 2015
Fonte/Imprenta: Eclética Química, v. 40, p. 71-76, 2015.
Idioma: en
Palavras-chave: Fitotóxico
Erva
Escopoletina
Conteúdo: Este estudo teve como objetivo estabelecer as variações na atividade fitotóxica dos extratos hexânico, acetato de etila e metanólico das raízes de Moutabea guianensis, e das substâncias cafeato de metila e escopoletina isoladas do extrato acetato de etila, variando a concentração e as espécies receptores. Foram desenvolvidos bioensaios de atividades fitotóxicas de germinação (a 25 °C e 12 horas de fotoperíodo) e de desenvolvimento da radícula e do hipocótilo (25 °C e 24 horas de fotoperíodo). A germinação das sementes de Mimosa pudica foi sensível aos extratos hexânico, acetato de etila e metanólico a 1% (w/v), com efeitos de inibição em 92%, 100% e 100%, respectivamente. A análise comparativa da atividade fitotóxica das substâncias testadas revelou que a escopoletina apresentou um potencial de inibição mais elevado no bioensaio de germinação de sementes frente a Mimosa pudica. Senna obtusifolia não foi sensível às substâncias testadas. Cafeato de metila apresentou maior potencial de inibição no bioensaio de desenvolvimento da radícula e hipocótilo, e a intensidade dos efeitos alelopáticos variou com as concentrações.
Ano de Publicação: 2015
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
07eq1411.pdf245,32 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace