Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1063508
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 10-Fev-2017
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: CORRÊA, H. A.
SÁ, T. D. de A.
PORRO, N. S. M.
Informaçães Adicionais: Heldiane Aranha Corrêa, MESTRADO UFPA; TATIANA DEANE DE ABREU SA, CPATU; Noemi Sakiara Miyasaka Porro, UFPA.
Título: Entre o açaí e o roçado: interpretações sobre o planejamento de atividades agrícolas e extrativas por um campesinato de várzeas amazônicas.
Edição: 2016
Fonte/Imprenta: Estudos Sociedade e Agricultura, v. 24, n. 2, p. 604-630, out. 2016.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Agricultura familiar
Açaí
Extrativismo
Organização familiar
Amazônia
Conteúdo: No Rio Preto da Ilha Queimada, em ecossistema de várzea amazônica, ao noroeste do Arquipélago do Marajó, o cultivo de corte e queima característico dos roçados representa uma forma de uso integrado do ambiente pelos atores sociais locais; neste caso, associado ao extrativismo de açaí. A dinâmica do trabalho familiar registrada nestes espaços indica que as relações de produção são regidas por laços de parentesco, vizinhança e compadrio, e que há divisão de tarefas por gênero e conforme o estágio do ciclo de vida. O impressionante aumento da demanda pelo mercado e a alta dos preços em determinados meses nos levam a pensar que o ciclo de produção do açaí determina o planejamento das atividades agrícolas e extrativas. Porém, a pesquisa empírica mostra que o planejamento agrícola e extrativo não é definido apenas pelo mercado, mas que esta variável é apenas uma parte do conjunto de fatores relevantes para a economia deste campesinato.
Ano de Publicação: 2016
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
79723271PB.pdf829,61 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace