Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1067298
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amapá - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2017
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: SALOMÃO, D. C. O.
VASCONCELOS, H. C. G.
TAVARES-DIAS, M.
SÁ-OLIVEIRA, J. C.
Additional Information: MARCOS TAVARES-DIAS, CPAF-AP.
Title: Estrutura da comunidade parasitária de crustáceos em seis espécies de peixe do reservatório da Usina Hidrelétrica Coaracy Nunes, Rio Araguari, Ferreira Gomes, Amapá, Brasil.
Publisher: In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA, 22., 2017, Porto Seguro. Conservação, demandas sociais e desenvolvimento econômico: conflitos ou oportunidades para a ictologia ?: anais. Porto Seguro: Universidade Federal do Sul da Bahia; São Paulo: Sociedade Brasileira de Ictiologia, 2017.
Language: pt_BR
Notes: Resumo 131-1.
Description: Os peixes podem ser parasitados por diversas espécies de crustáceos, principalmente Copepoda, Branchiura e Isopoda. Crustáceos podem afetar a respiração dos peixes quando parasitam as brânquias, comprometendo a natação e crescimento dos hospedeiros, causando prejuízos para a pesca e aquicultura. O objetivo deste estudo foi avaliar a estrutura da comunidade de crustáceos ectoparasitos em seis espécies de peixes do Reservatório da Usina Hidrelétrica Coaracy Nunes (UHECN), Rio Araguari. Bimestralmente (entre outubro/2012 e agosto/2013), em seis pontos amostrais no reservatório UHECN (00º54'11.8"N e 051º15'35.5"W), foram coletados espécimes de Psectrogaster falcata (18,2 ± 3,9cm e 138,4 ± 96,7g), Ageneiosus ucayalensis (16,3 ± 2,8cm e 39,7 ± 18,3g), Acestrorhynchus falcirostris (18,2 ± 3,2cm e 62,4 ± 36,0g), Hemiodus unimaculatus (14,8 ± 2,3cm e 51,5 ± 19,9g), Serrasalmus gibbus (10,9 ± 2,5cm e 26,9 ± 36,6g) e Geophagus proximus (14,4 ± 4,2cm e 84,9 ± 77,5g) para análises da fauna de crustáceos ectoparasitos. Para pesca foram utilizadas redes de espera simples de diferentes malhas (20 a 60mm entre nós), com 12 horas de permanência e vistorias a cada duas horas. A boca, câmara branquial, tegumento e nadadeiras de cada peixe foi examinada em campo, para verificar a presença de crustáceos ectoparasitos. As espécies de crustáceos foram conservadas em álcool 70% glicerinado. Os descritores ecológicos abordados foram prevalência (P), abundância média (AM), intensidade média (IM) e número total de parasitos (NTP). A análise de agrupamento, usando o índice de similaridade de Bray-Curtis (BC), que varia entre 0 e 1, foi usada para verificar o grau de similaridade da fauna de ectoparasitos crustáceos entre as espécies hospedeiras. Neste estudo foi coletado um total de cinco espécimes de Argulus chicomendesi (Branchiura: Argulidae), 11 espécimes de Ergasilus turucuyus (Copepoda: Ergasilidae) e 862 espécimes de Excorallana berbicensis (Isopoda: Corallanidae). Dos 62 A. falcirostris examinados, 30,6% estavam parasitados por E. berbicensis (P=22,6%; AM=2,2; IM=9,6; NTP=134) e E. turucuyus (P=12,9%; AM=0,1; IM=1,1; NTP=9). Dos 56 H. unimaculatus examinados, 28,6% estavam parasitados por E. berbicensis (P=28,6%; AM=1,1; IM=3,9; NTP=63) e E. turucuyus (P=3,6%; AM=0,1; IM=1,0; NTP=2). Dos 63 A. ucayalensis examinados, 34,9% estavam parasitados somente por E. berbicensis (AM=1,9; IM=5,6; NTP=123). Dos 65 P. falcata examinados, 40,0% estavam parasitados por A. chicomendesi (P=6,1%; AM=0,1; IM=1,0; NTP=4) e E. berbicensis (P=38,5%; AM=4,3; IM=11,2; NTP=279). Dos 14 G. proximus examinados, 42,9% estavam parasitados por A. chicomendesi (P=7,1%; AM=0,1; IM=1,0; NTP=1) e E. berbicensis (P=42,9%; AM=18,3; IM=42,7; NTP=256), enquanto dos 36 S. gibbus examinados, 19,4% estavam parasitados somente por E. berbicensis (AM=0,2; IM=1,0; NTP=7). A análise de agrupamento de Bray-Curtis formou dois pares definidos, sendo o primeiro entre os hospedeiros P. falcata e G. proximus, com maior similaridade de parasitismo (BC=0,952), e o segundo entre A. falcirostris e A. ucayalensis (BC=0,925), também com importante similaridade de parasitismo. O parasitismo realizado pelos ectoparasitos crustáceos diferiu entre os hospedeiros. Os grupamentos propostos podem estar associados ao nicho semelhante no ambiente estudado, uma vez que P. falcata e G. proximus, ambos onívoro-detritívoro, e A. falcirostris e A. ucayalensis, ambos piscívoro-carnívoros, utilizam recursos semelhantes, favorecendo a similaridade no parasitismo.
Thesagro: Infestação
Hospedeiro
Praga
Sanidade animal
Biossegurança
Data Created: 2017-03-20
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPAF-AP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CPAFAP2017EstruturadacomunidadeparasitariadecrustaceosResumo1311.pdf30,57 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace