Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1068026
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Meio Ambiente - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 3-Abr-2017
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: FARIA, M. R.
GUIMARÃES, R. A.
PEREIRA, P. F.
PINTO, F. A. M. F.
BETTIOL, W.
MEDEIROS, H. V.
Informaçães Adicionais: M. R. FARIA, UFV; R. A. GUIMARÃES, UFV; P. F. PEREIRA, UFV; F. A. M. F. PINTO, UFV; WAGNER BETTIOL, CNPMA; H. V. MEDEIROS, UFV.
Título: Contribuição de resíduos orgânicos nas propriedades do solo e sobrevivência de Stenocarpella em colmos de milho.
Edição: 2016
Fonte/Imprenta: In: REUNIÃO BRASILEIRA DE CONTROLE BIOLÓGICO DE DOENÇAS DE PLANTAS, 12.; SIMPÓSIO DE MANEJO DE DOENÇAS DE PLANTAS, 16., 2016, Lavras. Integrando técnicas para entregar resultados: resumos... Lavras: NEFIT, 2016.
Páginas: p. 206.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Resteva
Conteúdo: Sistema de plantio direto de milho associado ao monocultivo pode contribuir para o aumento da sobrevivência de patógenos na palhada da cultura no campo, o que ocasiona elevação da incidência de doenças como as causadas por fungos do gênero Stenocarpella. Uma estratégia para reduzir o tempo de sobrevivência destes agentes patogênicos é através da aplicação de microrganismos e matéria orgânica no solo. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da aplicação de resíduos orgânicos no solo e sobre a sobrevivência de Stenocarpella em caules de milho em Lavras e Sete Lagoas. Os caules de milho infestado com o patógeno foram mantidos no campo por três meses após a aplicação de resíduos orgânicos [cama de frango (CF), esterco de suínos (ES), hidrolisado de peixe (HP), lodo de esgoto (LE)] e ureia. Colmos com o patógeno, mas sem a adição de resíduos foram mantidos na superfície ou incorporados ao solo representando os controle negativo e positivo. Foram feitas avaliações da atividade microbiana [B-glicosidase e Hidrolise de diacetato de fluoresceína (FDA)], análise química do solo e dinâmica da população do patógeno através de qPCR. Em Lavras e Sete Lagoas o teor de cálcio aumentou quando CF foi aplicada no solo e em Sete Lagoas, ES também elevou o fator de Ca no solo. CF contribuiu para aumento no teor de N e C total do solo, em Sete Lagoas e Lavras. O aumento da atividade B-glicosidase ocorreu para HP, LE, CF e ureia em Lavras e em Sete Lagoas somente HP e ureia. Ocorreu aumento da hidrólise da FDA em Lavras para CF, ureia, e os controles negativo e positivo. Em Sete Lagoas, a hidrólise FDA aumentou no solo com CF, HP, ES e ureia. Os tratamentos com colmo na superfície e colmos enterrados nos dois locas apresentaram a maior redução do patógeno, seguido por LE em Lavras e, HP e LE em Sete Lagoas. Hidrolisado de peixe e lodo de esgoto são promissores na indução de supressividade, pois elevaram a atividade enzimática do solo e reduziram a quantidade de patógeno.
NAL Thesaurus: Zea mays
Stenocarpella maydis
Stenocarpella macrospora
Ano de Publicação: 2016
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CNPMA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016RA015.pdf656,83 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace