Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/310659
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Florestas - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 12-Mai-2005
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: CARVALHO, P. E. R.
Informaçães Adicionais: Pesquisador da Embrapa Florestas.
Título: Louro-pardo.
Edição: 1988
Fonte/Imprenta: Boletim de Pesquisa Florestal, Curitiba, n. 17, p. 63-66, dez. 1988.
Idioma: pt_BR
Notas: Nota técnica.
Palavras-chave: Louro-pardo.
Conteúdo: Boraginaceae é uma família de plantas de regiões tropicais, sub-tropicais e temperadas. Compreende mais de duas mil espécies, distribuídas em cerca de 100 gêneros, que abrangem, principalmente, plantas arbóreas, arbustivas e herbáceas. Cordia é um dos gêneros mais importantes das boragináceas, com cerca de 250 espécies. Seu nome, ao contrário do que se poderia supor, não é alusivo a coração e, sim, a homenagem a um dos primeiros botânicos alemães do século XVI, Valerius Cordus. Entre as espécies de Cordia existentes na América Central e do Sul, e que são produtoras de madeira de alta qualidade, destacam-se: C. alliodora (R & P.) Oken (laurel), presente nos bosques tropicais da América Central e Amazônia sulamericana, com plantios comerciais na Colômbia, Suriname e Vanuatu (antiga Novas Hébridas); C. goeldiana Huber (freijó), que ocorre na Região Amazônica brasileira e produz madeira de larga utilização, com demanda crescente no mercado interno e externo; e C. trichotoma (Vellozo) Arrabida ex Steud, com ocorrência nas áreas tropicais e subtropicais ao Brasil, Argentina e Paraguai. O louro-pardo é uma árvore de folhas caducas, que pode alcançar até 35 m de altura, com tronco reto e cilíndrico, dando fustes de 10 a 20 m de altura. Suas flores são pequenas, brancas, perfumadas, com floração vistosa, observada de janeiro a julho. No Nordeste do Brasil, onde é conhecido por frei-jorge, a espécie é encontrada com regular freqüência nas serras interioranas do Ceará (Serra do Araripe), Paraíba e Pernambuco (Serra de Garanhuns e Serra Negra). Sua maior área de dispersão estende-se da Floresta Tropical Pluvial Atlântica, do Sul da Bahia e norte do Espírito Santo, até a Floresta Subtropical Pluvial das bacias dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai. O limite norte de sua distribuição, no Brasil, está na Serra do Araripe, no sul do Ceará, a, aproximadamente, 7o S, e o limite sul, em Encruzilhada do Sul, no Rio Grande do Sul, a 30°32'S (Figura 1). A espécie ocorre, ainda, na parte leste do Paraguai e no norte da Argentina, nas províncias de Misiones e Corrientes. Nas Regiões Sul, Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, o louro-pardo é uma das espécies nativas mais promissoras para plantio. Ele apresenta uma combinação de aspectos favoráveis, como rápido crescimento, boa forma, madeira de excelente qualidade, apreciada nos mercados interno e externo, frutificação abundante, regeneração natural vigorosa e facilidade de produção de mudas.
NAL Thesaurus: Cordia.
Ano de Publicação: 1988
ISSN: 0101-1057
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
carvalho.pdf78,72 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace