Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/311881
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Florestas - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 27-Jan-2006
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: RODIGHERI, H. R.
Informaçães Adicionais: Pesquisador da Embrapa Florestas.
Título: Plantios florestais e sistemas agroflorestais: alternativas para o aumento de emprego e renda na propriedade rural.
Edição: 2004
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 42., 2004, Cuiabá. Artigos completos. SOBER, 2004. p. 159.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Produção familiar Atividade agroflorestal.
Conteúdo: Este trabalho tem por objetivo apresentar indicadores de emprego e a renda em plantios florestais e sistemas agroflorestais na propriedade rural. As informações básicas foram obtidas através de levantamentos realizados junto a produtores rurais dos Estados do Paraná Santa Catarina e Rio Grande do Sul que plantaram erva-mate, eucaliptos, pinus e feijão e milho nas entre linhas dos plantios florestais. O espaçamento usado para a erva-mate, eucalipto e pínus foi de 3 m x 2 m resultando em 1.667 plantas/ha e com o plantio do feijão e milho no primeiro e segundo anos. Para o sistema agroflorestal erva-mate usou-se o espaçamento de 5 m x 2 com 1.000 plantas/ha permitindo, assim, o plantio do feijão e do milho ao longo do ciclo analisado que é de 21 anos. A rentabilidade econômica foi medida através da Taxa Interna de Retorno (TIR) e do Valor Presente Líquido (VPL), critérios tradicionais para esse tipo de análise. Adicionalmente utilizou-se o Valor Presente Líquido Anual (VPLA), para poder comparar e visualizar a rentabilidade das alternativas que possuem diferentes prazos de produção. Para o cálculo do VPL e do VPLA, usou-se a taxa de desconto de 6% ao ano. O ciclo dos plantios florestais foi de 21 anos. Os resultados indicam que em todas as atividades analisadas os sistemas agroflorestais demandam mais mão-de-obra e apresentam maior rentabilidade. As principais conclusões são de que a racionalização do uso das terras através da implantação florestal e sistemas agroflorestais aumenta o emprego e a renda na propriedade rural e que estes sistemas, além da produção simultânea de alimentos, madeira e/ou utilidades múltiplas possibilitam a formação da poupança verde nas propriedades rurais.
Thesagro: Emprego
Renda.
Ano de Publicação: 2004
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CNPF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2004HonorinoSOBERPlantiosFlorestais.pdf114,15 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace