Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/410269
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 17-Abr-2009
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: KATO, O. R.
FREITAS, A. C. R. de
FERREIRA, J. H.
LEMOS, W. P.
GONÇALVES, R. C.
RODRIGUES FILHO, J. A.
AZEVEDO, C. M. B. C. de
VASCONCELOS, M. A.
MOURÃO, M.
MATOS, L. M. S. de
GATO, R. F.
SHIMIZU, M.
ROFFE, A.
Informaçães Adicionais: OSVALDO RYOHEI KATO, CPATU; ANTONIO CARLOS REIS DE FREITAS, CPAMN; Josie Helen Ferreira, ASDCONO; WALKYMARIO DE PAULO LEMOS, CPATU; RIVADALVE COELHO GONCALVES, CPAF-AC; JOSE ADERITO RODRIGUES FILHO, CPATU; CELIA MARIA BRAGA C DE AZEVEDO, CPATU; Marcelo Augusto Vasconcelos, FANEP; MOISES CORDEIRO MOURAO DE O JUNIOR, CPATU; LUCILDA MARIA SOUSA DE MATOS, CPATU; Rubenise Farias Gato, CPATU; MAURICIO KADOOKA SHIMIZU, CPATU; ANNA CHRISTINA M ROFFE BORGES, CPATU.
Título: Recuperação de área degradada através do preparo de área sem queima e sistemas agroflorestais.
Edição: 2009
Fonte/Imprenta: In: CONFERÊNCIA DO SUBPROGRAMA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - SPC&T FASE II/PPG7, 2008, Belém, PA. Anais... Brasília, DF: CNPq, 2009.
Páginas: p. 494-499.
Idioma: pt_BR
Notas: Disponível também em CD-ROM (CD 00173).
Palavras-chave: Deterioração do solo
Recuperação do solo
Sistema de cultivo
Amazônia
Brasil
Código Florestal
Conteúdo: A passagem da agricultura tradicional para o padrão moderno aumentou o consumo de energia, intensificou o uso dos recursos naturais, substituiu áreas de floresta por monocultivos, causando degradação dos solos e contaminação de recursos hídricos pelo uso de produtos químicos. A intensificação do uso de agrotóxicos, adubos químicos e da mecanização contribuiu para a expansão das lavouras com monocultura, reduzindo o nível de emprego rural, aumentando a concentração de posse da terra e acelerando o êxodo de agricultores familiares, provocando o aumento populacional nas periferias das cidades. Assim, a expansão desse modelo de agricultura serviu para aumentar, ainda mais, as desigualdades sociais (MOURÃO, 2004). Na Amazônia, a adoção do modelo químicomecanizado está sendo negativo, o que pode ser comprovado com os cultivos de pimenta-do-reino e soja, onde a vegetação natural (primária ou secundária) é removida, reduzindo a diversidade e riqueza das espécies. Por outro lado, a agricultura tradicional, baseada na prática de corte e queima, tem se tornado alvo de manifestações de ambientalistas e cientistas do mundo inteiro pela emissão de gases que contribuem para o efeito estufa. O crescimento populacional, a crescente minifundização dos sistemas agrários, a redução dos períodos de pousio e as altas taxas de desmatamento e de emissão de gases são fatores que colocam em alerta a continuidade desse modelo. A associação de práticas de corte e 495 queima com as modernas ampliou os efeitos negativos da agricultura no ambiente e sociedade. Certamente, o maior desafio para a agricultura na Amazônia será formular, sistematizar e disseminar alternativas de produção sustentável, capazes de diminuir e/ou eliminar a prática de queimadas. De fato, observa-se que algumas técnicas de produção sem fogo não estão disponíveis para a esmagadora maioria da população rural. A busca de iniciativas locais é um importante ponto de partida.
Ano de Publicação: 2009
ISBN: 978-85-7028-021-3
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
41001.pdf413,43 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace