Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/444554
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 10-Nov-2003
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: VOLL, E.
DOMIT, L. A.
GAZZIERO, D. L. P.
RODRIGUES, B. N.
ADEGAS, F. S.
COSTA, J. M.
WOBETO, C.
Informaçães Adicionais: ELEMAR VOLL, CNPSO; LINEU ALBERTO DOMIT, CNPSo; DIONISIO LUIZ PISA GAZZIERO, CNPSO; FERNANDO STORNIOLO ADEGAS, CNPSO.
Título: Levantamento de banco de sementes e de flora daninha emergente, no manejo integrado de plantas daninhas emlavouras de soja no Paraná - 95/96.
Edição: 1997
Fonte/Imprenta: Informativo ABRATES, Curitiba, v. 7, n. 1/2, p. 121, jul;/ago. 1997. Número especial, ref. 175.
Idioma: pt_BR
Notas: Edição do X Congresso Brasileiro de Sementes, 1997.
Conteúdo: RESUMO - Unidades de observação (UOs.) a campo foram instaladas com o objetivo de determinar efeitos de práticas de manejo de controle de espécies de plantas daninhas em lavouras de soja após trigo e estabelecer um sistema predictivo de controle, baseado em levantamento de banco de sementes e da flora daninha emergente. Em 1995/96, foram instaladas 19 UOs. em áreas de produtores, sendo 15 em semeadura direta e quatro em semeadura convencional. Foram estabelecidos três tratamentos de manejo: testemunha, sem controle; alternativo, com controle baseado no levantamento do banco de sementes e da flora emergente e do produtor. As amostragens foram iniciadas no mês de julho/95 , sendo coletas 50 amostras de amostras de solo com amestrador tubular, de Sem de diâmetro interno, à profundidade de zero a 1Ocm. Posteriormente, foram feitas a lavação, a flotação, a identificação e a contagem das sementes viáveis. Os levantamentos de flora daninha emergente foram feitos em pré e pós semeadura da soja, usando uma armação de ferro de O,Sm x 0,5m. Foram usadas 1O e 20 subamostras por área, respectivamente . Numa das regiões, com seis áreas em semeadura direta, com seqüência trigo-soja, não foram recomendadas aplicações de herbicidas graminicidas e, em apenas uma área justificou-se economicamente o controle de espécies de folhas largas. Em outra região, com quatro áreas, com alto potencial de infestação de plantas gramíneas, numa seqüência milho-soja, foram necessárias as aplicações de graminicidas, não se justificando o controle das espécies de folhas largas. Outras áreas mostraram resultados variáveis, sendo que no sistema convencional, uma área com controles anuais eficientes das espécies daninhas presentes dispensou a aplicação de herbicidas
Thesagro: Soja.
Ano de Publicação: 1997
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
id224370001.pdf318,49 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace