Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/445313
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 11-Nov-2003
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: COSTA, N. P.
FRANÇA NETO, J. B.
KRZYZANOWSKI, F. C.
HENNING, A. A.
PEREIRA, J. E.
Título: Avaliação de metodologia alternativa para o teste de tetrazólio em sementes de soja.
Edição: 1997
Fonte/Imprenta: Informativo ABRATES, Curitiba, v. 7, n. 1/2, p. 195, jul;/ago. 1997. Número especial, ref. 323.
Idioma: pt_BR
Notas: Edição do X Congresso Brasileiro de Sementes, 1997.
Conteúdo: RESUMO - A atual metodologia do teste de tetrazólio prevê um período mínimo de 16 horas a 25ºC de pré-condicionamento (tempo de embebição) para a realização do teste. Esse período pode ser considerado, em algumas situações, como relativamente longo e muitas vezes pode dificultar a geração de informação, especialmente quando há urgência na obtenção de resultados. Metodologia alternativa, testada em anos anteriores, evidenciou a possibilidade da redução do período de pré-condicionamento, desde que '.> mesmo seja realizado à temperatura de 41ºC, por seis horas, ao invés de 25ºC, tradicionalmente utilizados. Entretanto, como tal metodologia alternativa foi testada em um pequeno número de cultivares e permanece a dúvida se tal procedimento (41ºC por 6 horas) é válido para sementes de outras cultivares, foi conduzido o presente experimento, com esse objetivo. Sementes de dois tamanhos (médio e pequeno) das cultivares IAS-5, EMBRAPA 4, EMBRAPA 48, OCEPAR 17 e FT-Abyara foram pré­ condicionadas sob três situações: quatro horas a 41 ºC; seis horas a 41ºC e 16 horas a 25ºC, sendo esta a condição comumente utilizada no teste de tetrazólio. Os parâmetros avaliados foram vigor, viabilidade, índices de danos mecânicos, de deterioração por umidade e de danos causados por percevejos. O período de seis horas a 41 ºC propiciou condições adequadas de coloração das sementes, o que possibilitou a perfeita avaliação e a interpretação dos parâmetros mencionados. Conforme constatado em experimento realizado anteriormente, a qualidade de coloração desenvolvida após seis horas de embebição foi superior a quatro horas na temperatura a 41ºC. De modo geral, conclui-se que o pré-condicionamento realizado por 16 horas a 25ºC pode ser substituído com sucesso pelo período de seis horas a 41ºC, mantendo a precisão do teste para as cultivares testadas, ampliando­ se assim a confiabilidade da metodologia alternativa.
Thesagro: Soja.
Ano de Publicação: 1997
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
id224640001.pdf322,32 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace