Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/469678
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2006
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: HENNING, A. A.
HENNING, F. A.
VIEIRA, B. G. T. L.
Additional Information: ADEMIR ASSIS HENNING, CNPSO; FERNANDO AUGUSTO HENNING, CNPSO; UniFil.
Title: Avaliação de bioprotetores para o tratamento de semente de soja.
Publisher: Informativo ABRATES, Pelotas, v. 16, n.1/3, p. 37, mar. 2006.
Language: pt_BR
Notes: Edição dos Resumos do XIV Congresso Brasileiro de Sementes, Foz do Iguaçu, ago. 2005.
Keywords: Tratamento de sementes
Description: O tratamento de semente de soja com fungicidas, que no Brasil não passava de 5% em 1991, após a safra 2002/03, passou a ser utilizado em 93% da área cultivada. Recentemente, o uso de agentes biológicos tem despertado interesse devido aos possíveis efeitos negativos que os fungicidas poderiam causar ao ambiente e ao Bradyrhizobium japonicum. O objetivo deste trabalho foi comparar a eficiência de dois produtos de origem biológica com três fungicidas padrões, indicados para o tratamento de semente de soja, sob condições de campo. Sementes de soja BRS 133 foram tratadas em sacos plásticos no laboratório com Biotrich® (Trichoderma sp.) em três doses (2g, 4g e 6g/kg); Bacillus pumius 28% (5g/kg) e três fungicidas: Derosal Plus® (carbendazin 30g + thiram 70g), Vitavax - Thiram 200 SC® (carboxin 50g + thiram 50g) e Metalaxyl M® (Metalaxyl 10g + fluodioxonil 35g), respectivamente nas doses de 2 mL, 2,5 mL e 1,0 mL/ kg de semente. Após a semeadura (12/01/04), ocorreu um pequeno veranico. O delineamento experimental foi blocos completos casualizados com quatro repetições, parcelas com quatro linhas de 100 sementes e as médias foram separadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Dentre os fungicidas, a melhor emergência foi obtida pelo tratamento Dersal PluS® (78,3%), seguida pelo Vitavax- Thiram 200 SC® (57,5%) e Metalaxyl M® (41,9%). Nos tratamentos com os bioprotetores, a emergência variou entre 16,4% e 26,7% e não diferiu estatisticamente da testemunha sem tratamento (23,81 %). Esses resultados demonstraram que os agentes bioprotetores não conferem proteção às sementes no solo quando ocorre veranico, mesmo de poucos dias, após a semeadura.
Data Created: 2006-11-01
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Avaliacaodebioprotetoresparaotratamentodesementedesoja.pdf369,74 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace