Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/488366
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Milho e Sorgo - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 4-Nov-2004
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: FERREIRA, M. das G. R.
CÁRDENAS, F. E. N.
CARVALHO, C. H. S. de
CARNEIRO, A. A.
DAMIÃO FILHO, C. F.
Informaçães Adicionais: MARIA DAS GRACAS RODRIGUES FERREIRA, CPAF-RO; FERNANDO ENRIQUE NINAMANGO CÁRDENAS, ESALQ; CARLOS HENRIQUE S DE CARVALHO, SAPC; ANDREA ALMEIDA CARNEIRO, CNPMS; CARLOS FERREIRA DAMIÃO FILHO, UNESP.
Título: Desenvolvimento de calos em explantes de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum schum.) em função da concentração de auxinas e do meio líquido.
Edição: 2001
Fonte/Imprenta: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 23, n. 3, p. 476-476, dez. 2001.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: Objetivou-se estudar o efeito da concentração de auxina e do meio líquido sobre o desenvolvimento de calos de cupuaçuzeiro. Segmentos de eixos embrionários e cotilédones, obtidos de frutos de cupuaçu dos tipos Mamorana e Redondo, foram cultivados em 4 meios de cultura diferentes: 1) meio MS (50%), suplementado com 2,4-D (1; 2; 4; 8 mg/L); 2) sais N6 (SIGMA) (4 g/L), acrescidos de 2,4-D (0; 2; 4 mg/L) e ANA (0; 3; 5 mg/L); 3) igual ao anterior, suplementado apenas com ANA (3 mg/L); e 4) meio MS, acrescido com ANA (1 mM). Calos com aspecto branco e brilhante foram observados em segmentos de eixos embrionários e cotilédones, cultivados nas menores concentrações de meio 1 (1 e 2 mg/L), enquanto nas maiores concentrações (4 e 8 mg/L) se observou a formação de calos e massa calosa branco-opaca, em eixos embrionários e em segmentos cotiledonares, estas estruturas tornaram-se escuras dentro de oito semanas. Usando o meio 2, um grande número de raízes foram formadas, enquanto o mesmo meio suplementado apenas com ANA (3; 5 mg/L) originou uma massa calosa. A combinação de ANA e 2,4-D, 3 e 2 mg/L, respectivamente, promoveu a formação de calos brancos e raízes. A transferência das culturas para meio líquido, sem regulador de crescimento, promoveu aumento de tamanho dos explantes e escurecimento dos mesmos. O cultivo desses explantes no meio 3 resultou no aparecimento de calos amarelos, com aspecto friável, que permaneceram com a mesma aparência no meio 4.
Thesagro: Calo
Cultura de Tecido.
Ano de Publicação: 2001
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPMS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Desenvolvimentocalos.pdf1,46 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace