Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/511462
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Acre - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 8-Jun-2009
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: CARNEIRO JUNIOR, J. M.
SA, C. P. de
CAVALCANTE, F. A.
WOLTER, P. F.
NASCIMENTO, H. L. B. do
MARTINS, W. M. de O.
Informaçães Adicionais: JOSE MARQUES CARNEIRO JUNIOR, CPAF-AC; CLAUDENOR PINHO DE SA, CPAF-AC; FRANCISCO ALOISIO CAVALCANTE, CPAF-AC; Priscila Ferreira Wolter, Uninorte; Hemython Luís Bandeira do Nascimento, UFAC; Williane Maria de Oliveira Martins, Uninorte.
Título: Caracterização de pequenas propriedades leiteiras do Estado do Acre.
Edição: 2009
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA, 19., 2009, Águas de Lindóia. Visão estratégica de cadeias do agronegócio: anais. Pirassununga: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos: Associação Brasileira de Zootecnistas, 2009.
Idioma: pt_BR
Notas: ZOOTEC 2009.
Palavras-chave: Pecuária leiteira
Pequeno produtor
Acre
Amazônia Ocidental
Conteúdo: Este estudo teve como objetivo caracterizar as pequenas propriedades leiteiras do Estado do Acre de acordo com as práticas de manejo, nutrição, sanidade e infra-estrutura. Foram realizadas 65 visitas técnicas no período de julho a outubro de 2008, com aplicação de questionário semi-estruturado, em pequenas propriedades leiteiras do Acre. Em relação à infra-estrutura, 66% dos produtores possuíam curral coberto, 38% apresentavam instalações com sala de ordenha, 19% tinham curral calçado, 63% das propriedades possuíam cocho dentro das instalações e somente 23% possuíam bebedouro. Apenas 8% das propriedades adotavam a ordenha mecânica, sendo a ordenha higiênica pouco praticada entre os produtores: 69% dos entrevistados lavavam as mãos antes da ordenha; 57% e 25% lavavam as tetas dos animais antes e depois da ordenha, respectivamente; e 95% dos produtores coavam o leite antes de despejar no latão. Em relação à adoção de tecnologias, 25% das propriedades realizavam a inseminação artificial, 63% adotavam o uso de cercas elétricas e 46% forneciam cana no período seco. Apesar de 98% vacinarem seus animais contra febre aftosa, apenas 46% vacinavam contra carbúnculo sintomático, 71% vacinavam contra brucelose, 86% contra raiva e 6% contra pneumoenterite. Concluiu-se que a maioria dos produtores de leite entrevistada apresenta baixo nível tecnológico, dispõe de infra-estrutura precária para produção de leite e não realiza a ordenha higiênica do leite.
Ano de Publicação: 2009
ISBN: 978-85-88969-88-9
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPAF-AC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
21391.PDF39,31 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace