Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/629652
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Agrobiologia - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 7-Mar-2008
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: CHAGAS, E.
ARAÚJO, A. P.
TEIXEIRA, M. G.
GUERRA, J. G. M.
Informaçães Adicionais: Eduardo Chagas, IDAF; Adelson Paulo Araújo, UFRRJ; Marcelo Grandi Teixeira, Embrapa Agrobiologia; José Guilherme Marinho Guerra, Embrapa Agrobiologia.
Título: Decomposição e liberação de nitrogênio, fósforo e potássio de resíduos da cultura do feijoeiro.
Edição: 2007
Fonte/Imprenta: Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 31, n. 4, p. 723-729, ago. 2007.
Idioma: pt_BR
Notas: Parceria: IDAF; UFRRJ.
Palavras-chave: Ciclagem de nutriente
Nutrient cycling.
Conteúdo: Este trabalho teve como objetivo mensurar a velocidade de decomposição e de liberação de nutrientes in situ de resíduos da cultura do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). Em condições de campo, foram coletadas as folhas senescentes durante o ciclo da cultura, bem como os caules e a palhada de vagens após trilhagem dos grãos, de cultivares de feijoeiro. Esses resíduos continham 2,3 Mg ha-l de massa, 31 kg ha-l de N e 2,4 kg ha-1 de P, que correspondiam a 63, 41 e 28 % do total de massa, N e P, respectivamente, acumulados durante 0 ciclo da cultura. Foram realizados dois ensaios, nos períodos de inverno-primavera e primavera-verão, quando os caules, as vagens e as folhas senescentes foram colocados separadamente em litterbags, dispostos sobre 0 solo, e coletados entre 2 e 120 dias. As quantidades de matéria seca e nutrientes remanescentes em cada tipo de resíduo foram ajustadas a um modelo exponencial simples. O tempo de meia-vida dos resíduos foi de, no primeiro e segundo ensaios, respectivamente, 133 e 179 dias para caules, 70 e 80 dias para folhas e 64 dias para vagens. A relativamente lenta decomposição dos resíduos pode ser associada a sua alta relação C:N - acima de 60 para caule e palhada de vagens. A liberação de N e P pelos resíduos foi similar á dinâmica de decomposição, enquanto a liberação de K foi mais rápida. Os resultados indicam que as folhas senescentes e os resíduos produzidos após trilhagem dos grãos podem restituir parte da demanda de nutrientes do feijoeiro, assumindo relevância para sistemas de agricultura sustentável. The objective of this study was to measure the speed of decomposition and nutrient release in situ from residues of common bean (Phaseolus vulgaris L.) crop. In field conditions, leaves of common bean cultivars senesced during the growth cycle and stems and podwal ls after pod threshing were collected. These residues contained 2.3 Mg ha-l of mass, 31 kg ha-l of Nand 2.4 kg ha-l of P that corresponded to 63, 41 and 28 % of total mass, Nand P, respectively accumulated during the crop growth cycle. Two experiments were conducted, during winter-spring and spring-summer. Stems, podwalls and sene seed leaves were placed separately in litterbags on the ground and collected, from the 2nd to the 120th day. The dry matter and nutrient amounts found in each residue type were adjusted to a simple exponential model. The half-life of the residues was, in the first and second trial respectively, 133 and 179 days for stems, 70 and 80 days for leaves, and 64 days for podwalls. The relatively slow residue decomposition may be associated with the high C:N ratio (C:N> ao in stems and podwalls). Nitrogen and P release by residues was similar to the decomposition pattern, while K release was faster. The results indicate that senescent leaves and residues produced after pod threshing can cover part of the nutrient demand of common bean crop, which is relevant for sustainable agricultural systems.
Thesagro: Feijão
Matéria Orgânica
Phaseolus Vulgaris.
NAL Thesaurus: organic matter.
Ano de Publicação: 2007
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPAB)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Decomposicaoeliberacaodenitrogeniofosforoepotassioderesiduosdaculturadofeijoeiro.pdf120,91 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace