Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/746518
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Clima Temperado - Tese/dissertação (ALICE)
Data do documento: 10-Jan-2009
Tipo do Material: Tese/dissertação (ALICE)
Autoria: REIS, J. C. L.
Informaçães Adicionais: JOSÉ CARLOS LEITE REIS.
Título: Dinâmica sazonal da pastagem e do fósforo no sistema solo-pastagem-animal em campos naturais da Serra do Sudeste, Rio Grande do Sul.
Edição: 2005
Fonte/Imprenta: 2005.
Páginas: 169 f.
Idioma: pt_BR
Notas: Tese (Doutorado em Ciências Agrárias - Pastagens) - Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. Co-orientador: João Gilberto Corrêa da Silva, Embrapa Clima Temperado.
Palavras-chave: Composição florística
Forragem
Produção
Conteúdo: Durante doze meses julho 1996 a junho 1997) estudou-se a dinâmica do crescimento da pastagem, da composição florística e da passagem do fósforo na cadeia solo-pastagem-animal, bem como os fatores que influenciam essa passagem, em duas áreas de campo natural em Piratini, na Serra do Sudeste - RS. As áreas receberam um manejo pré-experimental diferenciado (Área 1: pastejo normal; Área 2: superpastejo). A carga animal durante o experimento foi 0,4 no inverno e 0,60 UN/ha (UA = 500 kg) nas demais estações do ano. As gramíneas de estação quente (72%) e as folhas largas (20%) foram os principais componentes da vegetação disponível no estrato inferior. Na Área 1 houve maior forragem disponível durante todo o período experimental. A disponibilidade de forragem nas duas áreas foi maior entre novembro e fevereiro e menor no inverno, quando os animais (fêmeas jovens) perderam peso. A estiagem entre novembro e fevereiro prejudicou a produtividade da pastagem natural. Os solos apresentaram baixos teores de fósforo durante todo o ano. A Área 2 apresentou teores significativamente maiores de fósforo no solo e na forragem. Os menores teores de fósforo no solo ocorreram no inverno e os maiores no verão; na forragem, os menores teores foram obtidos no outono-inverno e os maiores na primavera-verão. Os teores de fósforo na forragem foram insuficientes para suprir as exigências nutricionais dos animais, e estiveram acima do nível adequado (0,14%) somente na primavera, na Área 2. Os teores de fósforo no soro de sangue dos animais em pastejo esteve abaixo do limite de normalidade (8 mg/100 ml) no verão, outono e inverno; na primavera encontrou-se no limite da normalidade nas duas áreas. Nos períodos de maior extração de fósforo do solo pela pastagem, ocorreu maior passagem do fósforo na cadeia solo-pastagem-animal. Houve uma relação positiva na passagem do fósforo do solo para a pastagem e da pastagem para os animais. A passagem do fósforo pela cadeia solo-pastagem-animal é influenciada de forma positiva ou negativa pelos teores de outros minerais existentes em cada elo da cadeia solo-pastagem-animal. Os componentes do solo que influenciaram negativamente nos teores de fósforo, na sua passagem solo-pastagem e solo-animal, foram: ferro, cobre, boro, nitrogênio e matéria orgânica. Fatores climáticos, tais como precipitação pluvial e temperatura, influenciaram sobremaneira os teores de fósforo dos elos da cadeia solo-pastagem. A dinâmica do fósforo na passagem pela cadeia solo-pastagem-animal mostrou-se muito dependente do ecossistema.
Ano de Publicação: 2005
Aparece nas coleções:Tese/dissertação (CPACT)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
11592.pdf1,55 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace