Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/858419
Unidade da Embrapa/Coleção:: Área de Informação da Sede - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 22-Jul-2010
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: HARTER, W. da R.
GRUTZMACHER, A. D.
NAVA, D. E.
GONÇALVES, R. da S.
BOTTON, M.
Informaçães Adicionais: Wagner da Roza Härter, Universidade Federal de Pelotas; Anderson Dionei Grützmacher, Universidade Federal de Pelotas; DORI EDSON NAVA, CPACT; Rafael da Silva Gonçalves, Universidade Federal de Pelotas; MARCOS BOTTON, CNPUV.
Título: Isca tóxica e disrupção sexual no controle da mosca-da-fruta sul-americana e da mariposa-oriental em pessegueiro.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 45, n. 3, p. 229-235, mar. 2010
Idioma: pt_BR
Notas: Título em inglês: Toxic bait and mating disruption to control the American fruit fly and the oriental fruit moth on peach orchards.
Palavras-chave: Feromônio sexual
Manejo de pragas
Produção integrada de pêssego.
Conteúdo: Resumo ? O objetivo deste trabalho foi avaliar o emprego simultâneo de isca tóxica e da técnica de disrupção sexual, com uso de feromônio sexual, para o controle de Anastrepha fraterculus e Grapholita molesta, em pomar comercial de pessegueiro. Foram utilizados três pomares de 0,5 ha, com os seguintes tratamentos: pomar 1, manejo com isca tóxica (Biofruit 3% + Malathion 500 CE a 200 mL por 100 L), aplicada nas plantas da borda do pomar quando o nível de controle era atingido, e uso da disrupção sexual por meio da aplicação de feromônio (Splat Grafo) em 1.000 pontos por ha; pomar 2, manejo convencional, constituído por pulverizações com inseticidas de contato e ingestão de 2 a 3 vezes ao ano; pomar 3, testemunha, sem controle. A população de adultos das duas espécies e o dano em ponteiros e frutos foram monitorados nas safras 2007/2008 e 2008/2009. O uso simultâneo da isca tóxica e da técnica de disrupção sexual reduziu em mais de 90% a captura de adultos de A. fraterculus e G. molesta. Nas duas safras, os danos reduziram de 62?85% em ponteiros, e de 98?99% nos frutos, em comparação à testemunha sem controle.
Thesagro: Anastrepha fraterculus
Grapholita molesta
Prunus persica
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (AI-SEDE) / Embrapa Informação Tecnológica (SCT)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
45n03a01.pdf1,01 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace