Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/863044
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Pecuária Sudeste - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 28-Set-2010
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: VERISSÍMO, C. J.
PEREIRA, J. R.
NICIURA, S. C. M.
MOLENTO, M. B.
Informaçães Adicionais: INSTITUTO DE ZOOTECNIA/NOVA ODESSA, SP.; APTA/VALE DO PARAÍBA, SP.; SIMONE CRISTINA MEO NICIURA, CPPSE; UFPr/CURITIBA, PR.
Título: Sensibilidade de helmintos gastrintestinais parasitos de ovinos a diferentes grupos de anti-helmínticos em duas propriedades na região do Vale do Paraíba estado de São Paulo.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA, 37., 2010, Rio de Janeiro. Alimento e biosseguranção para o Brasil e o mundo: trabalhos científicos apresentados. Rio de Janeiro: SOMERJ: SBMV, 2010.
Idioma: pt_BR
Notas: 1 CD-ROM. CONBRAVET.
Palavras-chave: Helmintos gastrintestinais
Ovinos
Anti-helmínticos
Sensibilidade
Conteúdo: A ovinocultura é uma atividade em franco desenvolvimento na região do Vale do Paraíba, SP. A verminose é um dos principais problemas sanitários da ovinocultura, causando grandes prejuízos aos produtores. No entanto, o controle da verminose por meio do uso exaustivo de vermífugos, como única medida, é cada vez menos eficiente em função da resistência que os nematoides gastrintestinais tem desenvolvido a vários anti-helmínticos. O objetivo deste trabalho foi investigar a eficácia anti-helmíntica em duas propriedades; P1 e P2, com manejo semelhante, situadas nos municípios de Guaratinguetá e Pindamonhangaba, respectivamente. Em cada propriedade, 60 ovinos, com contagem de OPG superior a 200, foram alocados ao acaso em seis grupos semelhantes em número, sexo e categoria, sendo cinco grupos tratados: ivermectina 1% (IVM, 1ml/50kg), sulfóxido de albendazole (ABZ, 1ml/30kg), cloridrato de levamisole (LEV, 1ml/10kg), moxidectina 1% (MOX, 1ml/50kg), closantel sódico 10% (CLO, 1ml/10kg) e um grupo controle, não medicado. Quatorze dias após o tratamento, procedeu-se à colheita das fezes dos animais de todos os tratamentos para efetuar o teste de redução de contagem de ovos nas fezes (calculado pelo programa RESO 2.0) e coproculturas. Os resultados obtidos na P1 indicaram nematoides resistentes (eficácia inferior a 80%) à IVM (72% de eficácia), MOX (0%), CLO (73%), LEV (31%) e ABZ (0%). Nesta propriedade, Haemonchus sp. apresentou resistência a todos os produtos, Trichostrongylus sp. foi sensível (eficácia superior a 90%) apenas ao ABZ e Strongyloides sp. sensível a todos os produtos. Na P2, também foram encontrados helmintos resistentes à IVM (0%), ABZ (80%), MOX (45%), CLO (56%) e LEV (56%). A exemplo da P1, Haemonchus sp. apresentou resistência a todos os produtos, Trichostrongylus sp., baixa resistência (eficácia entre 81 e 90%) a MOX, e sensibilidade ao ABZ. Não há publicações na região sobre a eficácia de anti-helmínticos usados para controle de helmintos gastrintestinais parasitos de ovinos. Os resultados obtidos indicam a necessidade urgente da adoção de mudanças no manejo dos rebanhos que visem minimizar o uso de produtos para preservar os poucos ativos ainda eficazes. Em estudos posteriores, testes moleculares serão aplicados nas larvas de Haemonchus sp. e Trichostrongylus sp. para identificação de polimorfismos no gene da b-tubulina.
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPPSE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
19491.pdf479,01 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace