Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/864114
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Informática Agropecuária - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 13-Out-2010
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: ANDRADE, D. C.
ROMEIRO, A. R.
FASIABEN, M. do C. R.
Informaçães Adicionais: DANIEL CAIXETA ANDRADE, UFU; ADEMAR RIBEIRO ROMEIRO, UNICAMP; MARIA DO CARMO RAMOS FASIABEN, CNPTIA.
Título: Valoração de serviços ecossistêmicos na bacia hidrográfica dos rios Mogi-Guaçu e Pardo (SP) e avaliação dos impactos da dinâmica de uso do solo.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 48., 2010, Campo Grande, MS. Tecnologias, desenvolvimento e integração social. Fortaleza: Itarget Tecnologia da Informação, 2010.
Páginas: p. 1-20.
Idioma: pt_BR
Notas: Sober 2010.
Palavras-chave: Serviços ecossistêmicos
Dinâmica de uso do solo
Land-use dynamics
Watershed.
Conteúdo: O principal objetivo deste trabalho foi avaliar os impactos da dinâmica de uso dos solos sobre os valores dos serviços ecossistêmicos gerados pela bacia hidrográfica dos Rios Mogi-Guaçu e Pardo (estado de São Paulo). Os resultados encontrados mostram que a dinâmica do uso da terra na região entre os anos de 1988 e 2002 teve um impacto negativo no valor total de serviços gerados (perda líquida de 2,78% no valor dos serviços ecossistêmicos providos, sendo as pastagens e culturas anuais as categorias de uso do solo que mais contribuíram para essa redução). Demonstrou-se também os impactos sobre os serviços ecossistêmicos sob a hipótese de cumprimento da legislação ambiental. Através de estimativas do déficit de APP e RL (Área de Proteção Permanente e Reserva Legal, respectivamente) para o ano de 2002 (110.359,93 ha), simularam-se dois cenários nos quais, respectivamente, o déficit fosse liquidado exclusivamente em áreas de uso agrícola e em áreas agrícolas e de pastagens. Os resultados mostraram que em ambos os casos haveria ganho líquido no valor dos serviços ecossistêmicos (8,84 e 8,38% de aumento no valor em relação a 1988 para os dois cenários, respectivamente). Por fim, a análise permitiu demonstrar que o valor gerado em termos de serviços ecossistêmicos por unidade de área florestada é maior que o valor gerado caso essa mesma unidade estivesse sendo utilizada com outros tipos de uso, como cana e/ou pastagem. Ao produtor, esse resultado não tem interesse imediato, já que ele não se apropria de todo o valor gerado pelos serviços ecossistêmicos. A comparação feita apenas comprova o fato de que a conversão de terras para florestas deve ser incentivada via política de compensação, dado o maior valor social gerado em relação ao valor privado.
Thesagro: Bacia Hidrográfica.
NAL Thesaurus: Ecosystem services.
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CNPTIA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
543.pdf1,77 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace