Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/865314
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Milho e Sorgo - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 27-Out-2010
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: QUEIROZ, L. R.
GALVÃO, J. C. C.
CRUZ, J. C.
OLIVEIRA, M. F. de
TARDIN, F. D.
Informaçães Adicionais: Luciano Rodrigues Queiroz, UFV; João Carlos Cardoso Galvão, UFV; JOSE CARLOS CRUZ, CNPMS; MAURILIO FERNANDES DE OLIVEIRA, CNPMS; FLAVIO DESSAUNE TARDIN, CNPMS.
Título: Supressão de plantas daninhas na produção de milho-verde orgânico em sistema de plantio direto.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 28, n. 2, p. 263-270, 2010.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Cobertura verde
Conteúdo: O sombreamento do solo com cobertura morta proporciona redução na germinação das sementes e diminuição da população de plantas daninhas, possibilitando às plantas da cultura de interesse se desenvolverem sob efeito de menor competição inicial. Dessa forma, objetivou-se neste trabalho investigar o efeito do cultivo de leguminosas na evolução da comunidade de plantas daninhas na cultura do milho-verde cultivado em sucessão, num sistema orgânico. O ensaio foi realizado em delineamento em blocos ao acaso, com parcelas subdivididas e quatro repetições. Inicialmente, houve o plantio das leguminosas: feijão-de-porco (Canavalia ensiformes), guandu (Cajanus cajan), mucuna-preta (Mucuna aterrinum), mucuna-anã (Mucuna deeringiana) e crotalária (Crotalaria juncea); foi mantida uma testemunha sem cultivo em pousio. Anteriormente ao cultivo do milho, foi avaliada a produção de matéria seca de cada espécie de leguminosa. Em seguida, após a roçada das leguminosas foi semeado sobre a palhada o milho, cultivar HTMV 02. A amostragem das plantas daninhas foi realizada aos 15 e 30 dias após a emergência do milho, lançando-se de forma aleatória sobre cada parcela um quadro de 50 x 50 cm. As plantas daninhas dentro do quadro foram identificadas, pesadas e contadas por espécie, sendo posteriormente colocadas em estufa a 65 oC, por 72 horas, para determinação da matéria seca. As palhadas da mucuna-preta e da crotalária proporcionaram maior redução de matéria seca e população das plantas daninhas. A maior produtividade de espigas comerciais de milho-verde foi obtida na área de palhada de mucuna-preta e crotalária.
Thesagro: Milho
Zea mays
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPMS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Supressaoplantas.pdf610,34 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace