Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/865757
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Pecuária Sudeste - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2010
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: BERALDO, M. de C. D.
OLIVEIRA, M. C. de S.
CHAGAS, A. C. de S.
FORIM, M. R.
GIGLIOTI, R.
BOSCHINI, L.
BRITO, L. G.
Additional Information: MARANI de CAMARGO D. BERALDO, UNICEP/SÃO CARLOS, SP; MARCIA CRISTINA DE SENA OLIVEIRA, CPPSE; ANA CAROLINA DE SOUZA CHAGAS, CPPSE; MOACIR R. FORIM, USP/SÃO CARLOS, SP; RODRIGO GIGLIOTI, UFSCar/SÃO CARLOS, SP; LETICIA BOSCHINI, CPPSE; LUCIANA GATTO BRITO, CPAF-RO.
Title: Avaliação in vitro da ação de extratos vegetais contra larvas de terceiro estágio de Cochliomyia hominivorax.
Publisher: In: JORNADA CIENTÍFICA - EMBRAPA SÃO CARLOS, 2., 2010, São Carlos, SP. Anais... São Carlos: Embrapa Instrumentação Agropecuária: Embrapa Pecuária Sudeste, 2010.
Language: pt_BR
Keywords: Extratos vegetais
Larvasde terceiro estágio.
Description: As miíases produzidas pelas larvas de causam morbidade e mortalidade, sobretudo em animais domésticos e, especialmente, em bovinos acarretando grandes prejuízos econômicos aos pecuaristas. Os prejuízos gerados pelo parasitismo incluem perda de peso, queda na produção de carne e leite, mortalidade de animais não tratados e principalmente, os altos custos dos tratamentos preventivos e curativos. Os medicamentos utilizados no controle, além de representarem um grande prejuízo para o produtor, contribuem para a presença de resíduos indesejáveis na carne e no leite bovino. O presente estudo foi realizado com a finalidade de testar os efeitos dos extratos de , e sobre as larvas de terceiro estágio (L3) de e estabelecer metodologia para análise do efeito de fitoterápicos ?in vitro?. Foram usadas L3 provenientes de cultura, mantida no Laboratório de Sanidade Animal da Embrapa Pecuária Sudeste. Todos os princípios testados foram diluídos em sangue bovino colhido com o anticoagulante citrato de sódio, para as concentrações de 10,0%, 5,0%, 2,5% e 1,25% e emulsificado com 80 a 1,66% (com auxílio de um agitador) para o volume final de 2 mL. Os extratos foram incorporados a 2g de carne moída livre de resíduos de medicamentos, compondo assim o meio de cultura para a alimentação das larvas que foi distribuído em frascos de plástico com tampa perfurada. Foram preparados dois tipos de controles: um contendo somente sangue e carne e outro contendo também o emulsificante na mesma concentração utilizada para os tratamentos. Para cada diluição foram preparadas três repetições com dez larvas que foram colocadas sobre o meio de cultura e incubadas em estufa a 37°C. As leituras foram feitas após doze horas de incubação. Os resultados dos testes de mortalidade para E. staigeriana, M. piperita, e P. tuberculatum para as concentrações de 10%, 5%, 2,5% e 1,25% foram: 87%, 40%, 0% e 0%; 100%, 100%, 100% e 85 %; 10%; 3,3%, 0%, e 0%, respectivamente. Para os dois controles utilizados, as larvas se desenvolveram normalmente até a fase de pupa. O extrato de foi o que apresentou as maiores taxas de mortalidade larval, até nas menores concentrações. Novos experimentos serão realizados com a finalidade de identificar a natureza das substâncias que demonstraram atividade sobre L3 de. Cochliomyia hominivorax Eucalyptus staigeriana Mentha piperita Piper tuberculatum C. hominivorax Tween M. piperita C. Hominivor
Thesagro: Cochliomyia Hominivorax.
Data Created: 2010-10-29
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPPSE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PROCIMCSO2010.00170.pdf28,66 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace