Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/865839
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Cerrados - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 3-Nov-2010
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: DOMINGUES, A. R.
SILVA NETO, S. P. da
Informaçães Adicionais: ANDREA RIBEIRO DOMINGUES, ESALQ/USP; SEBASTIAO PEDRO DA SILVA NETO, CPAC.
Título: Eficiência de diferentes tipos de iscas no monitoramento da broca da bananeira (cosmopolites sordidus) na região de Quirinópolis ? GO.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 21., 2010, Natal. Frutas: saúde, inovação e responsabilidade. Natal: SBF, 2010.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Congresso.
Conteúdo: Os problemas fitossanitários contribuem, em grande parte, para os baixos níveis de produtividade de banana no Brasil (Aves et al., 1997). Das pragas com maior frequência e que tem exigido dos bananicultores a adoção de medidas efetivas para controlá-las, a broca da bananeira (Cosmopolites sordidus) é a mais severa. Atinge praticamente todas as regiões em que se cultiva a banana, e pode ser responsável por quedas de safras de até 80%, em função da redução da colheita e da qualidade do produto (Cordeiro et al., 2000). O grande prejuízo causado por essa praga ocorre no seu período larval, quando ao se alimentar, abre galerias no interior do rizoma, diminuindo ou eliminando o seu sistema radicular, comprometendo-o seriamente, e assim limitando a estabilidade e a produção da planta (Manica,1998). O monitoramento periódico das populações da broca da bananeira, mediante de utilizações de iscas atrativas, permite o conhecimento do nível de infestação, e a indicação do controle de uma forma segura, evitando assim, a aplicação excessiva de defensivos e tornando, conseqüentemente, o controle mais racional (Cordeito et al., 2000). Existem dois tipos de iscas mais indicadas na literatura e difundidas pelos produtores, a isca tipo ??telha?? e a tipo ??queijo??, que se diferem quanto ao formato e a parte do pseudocaule. Ambas as iscas tem um período de atratividade de 14 dias, mas níveis de eficiência diferentes. Podem ser utilizadas também para o controle da praga, combinadas com inseticida (Gallo et al., 2002). Esse trabalho teve como objetivo testar a eficiência dos dois tipos de iscas mais recomendadas e utilizadas pelos produtores, em condições de lavoura, em escala comercial, na região do Sudoeste Goiano.
Thesagro: Banana
Cerrado
Fruticultura.
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPAC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Resumoexpandido.doc73 kBMicrosoft WordVisualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace