Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/868099
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Meio-Norte - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2010
Type of Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Authors: VELOSO, M. E. da C.
LEITE, L. F. C.
ROCHA JUNIOR, A. F.
SOUSA, A. C. M. de
MOUSINHO, F. E. P.
SALVIANO, A. A. C.
Additional Information: MARCOS EMANUEL DA COSTA VELOSO, CPAMN; LUIZ FERNANDO CARVALHO LEITE, CPAMN; AGENOR FRANCISCO ROCHA JUNIOR, UFPI; ALLAN CHARLLES MENDES DE SOUSA, Universidade Estadual de Campinas; FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO, UFPI; ADEODATO ARI CAVALCANTE SALVIANO, UFPI.
Title: Variabilidade espacial do índice de estabilidade de agregados de um neossolo litólico em área degradada em Gilbués, Piauí.
Publisher: In: REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA, 18., 2010, Teresina. Novos caminhos para agricultura conservacionista no Brasil. Teresina: Embrapa Meio-Norte: Universidade Federal do Piauí, 2010.
Pages: 4 p.
Language: pt_BR
Keywords: Classe de agregados
Degradação.
Description: A região de Gilbués é considerada a principal área em degradação do estado do Piauí. Nesta região, são poucas as informações técnicas relativas à estabilidade de agregados do solo. Objetivou-se neste trabalho avaliar a variabilidade espacial do índice de estabilidade de agregados de um Neossolo Litólico com afloramento de rocha em processo de degradação no município de Gilbués, Piauí. Na área em estudo, foram marcados e georreferenciados treze pontos. Coletaram-se amostras semi-indeformadas nas profundidades de 0,0-0,10 e 0,10-0,20 m, acondicionadas e levadas para posterior análise em laboratório. A determinação do índice de estabilidade de agregados, IEA, e a porcentagem por classe de agregados (4,76 - 2, 2-1, 1 – 0,5, 0,5 – 0,25 e < 0,25 mm) foram obtidos pelo método de tamisamento a úmido. Os valores do coeficiente de variação para o IEA nas profundidades um e dois foram 13,89 e 36,16% respectivamente. Para as demais variáveis, o CV na camada superficial foi menor que na subsuperficial, com exceção da classe (4,76-2,0mm). A geração dos mapas temáticos de IEA para as duas profundidades permitiram a visualização de sua variabilidade espacial, servindo como subsídio para a implantação de práticas conservacionistas.
Thesagro: Desertificação.
Data Created: 2010-11-26
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPAMN)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
565.pdf89,93 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace