Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/873766
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Acre - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 20-Jan-2011
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: GONCALVES, R. C.
LIMA, M N. de
THOMAZINI, M. J.
Informaçães Adicionais: RIVADALVE COELHO GONCALVES, CPAF-Acre; Michelma Neves de Lima; MARCILIO JOSE THOMAZINI, CNPF.
Título: Hypocrella SPP (Anamorfo Aschersonia SPP) sobre plantas no Acre: um recurso da biodiversidade para o controle biológico de doenças de plantas.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: In: SEMINÁRIO ANUAL DE COOPERAÇÃO UFAC/UF, 8., 2010, Rio Branco. Parcerias em pesquisa e ação para a conservação e desenvolvimento sustentável: anais. Rio Branco: Ufac, 2010.
Páginas: 1 p.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Planta
Praga
Fungo
Aschersonia spp
Controle biológico
Mosca-branca
Bemisia tabaci
Conteúdo: Aschersonia spp., são patógenos de moscas-brancas (Homoptera e Hemiptera: Aleyrodidae), e de insetos-escama (Homoptera: Coccideae), os quais causam prejuízos econômicos diretos e indiretos na agricultura. Ao succionar a seiva das plantas, estes insetos reduzem o vigor das mesmas, induzem clorose, queda de folhas e morte da planta. Além de introduzir toxinas nas plantas causando a toxicemia, alguns insetos destas ordens apresentam estreita relação com fitovirus. Ao atuar como reservatório e vetor de importantes vírus de plantas, estes insetos se tornaram pragas de grande importância mundial. Como exemplo, a mosca-branca, Bemisia tabaci biótipo B transmite o vírus do mosaico dourado do feijoeiro (BGMV). Dentre as possibilidades de controle de populações destes insetos, o controle biológico com microrganismos antagonistas é tema de estudos e prática em vários países. No Acre, um projeto realizado pela Embrapa Acre em 2005-2006 objetivou conhecer a diversidade de fungos com potencial antagonista a moscas-brancas que ocorrem em plantios de olericolas, frutíferas, ornamentais e árvores não frutíferas. Amostras de folhas e ramos de plantas com estromas fúngicos foram colhidas e trazidas ao laboratório para análise em microscópio.
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPAF-AC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
23765.pdf740,16 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace