Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/874402
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Monitoramento por Satélite - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 25-Jan-2011
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: BOLFE, E. L.
MIURA, A. K.
Informaçães Adicionais: EDSON LUIS BOLFE, CNPM; ADALBERTO KOITI MIURA, CPACT.
Título: Uso e ocupação das terras da metade sul do Rio Grande do Sul, Brasil.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE INGENIERÍA AGRÍCOLA, 6., 2010. Chillán, Chile. Anais... Chillán, Chile.: Universidad de Concepción, 2010.
Páginas: 13 p.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Geoprocessamento
SIG
Planejamento territorial
Conteúdo: A agricultura brasileira tem passado por um intenso processo de modernização nas últimas décadas, resultante da melhoria das tecnologias envolvidas nos sistemas de produção e das diversas políticas pública, como linhas de crédito, preços mínimos de garantia, pesquisa e extensão rural. Dentre as tecnologias, destacam-se os sistemas de informações geográficas, os quais constitui-se em uma referência importante para o planejamento territorial. Os objetivos deste estudo foram quantificar e avaliar o uso e a ocupação das terras de 35 municípios do sul do Rio Grande do Sul por meio de sistemas de informações geográficas. Instrumentais envolvendo geoprocessamento e o sensoriamento remoto foram utilizados para classificar digitalmente imagens do satélite Landsat. Elaborou-se um banco de dados geográficos com informações referentes às classes de uso e à ocupação das terras (pastagem natural e cultivada, floresta natural, reflorestamento, banhado e alagadiço, dunas e areia; lâmina d?água; agricultura/solo exposto e área urbana). Os dados foram analisados por município e integrados na forma de instrumentos públicos de gestão territorial (Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Sul, Associação dos Municípios da Zona Sul e Bacia Hidrográfica da Lagoa Mirim). Pastagem natural/cultivada foi a classe mais expressiva, correspondendo a 50% dos valores médios dos municípios, seguida da classe de agricultura/solo exposto com 33%, reflorestamento com 5 % e florestas naturais com 4%. A análise espacial dos dados de uso e ocupação das terras possibilita a compreensão da dinâmica ocupacional e permite subsidiar a ordenação do espaço geográfico promovendo o desenvolvimento sustentável da região.
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CNPM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
35oral.pdf564,17 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace