Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/876260
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Monitoramento por Satélite - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 8-Fev-2011
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: RONQUIM, C. C.
Informaçães Adicionais: CARLOS CESAR RONQUIM, CNPM.
Título: Alterações fisiológicas e anatômicas das folhas de espécies lenhosas jovens de cerrado sob irradiâncias contrastantes.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BOTÂNICA DE SÃO PAULO , 6., 2010. Viçosa, MG. Anais... Viçosa, MG: CBCN, 2010.
Páginas: 1 p.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Alocação de biomassa
Irradiância
Trocas gasosas.
Conteúdo: O objetivo principal desse trabalho foi avaliar o impacto da disponibilidade de radiação no balanço de carbono e alocação de biomassa. Na vegetação do cerrado, a adaptação a disponibilidade de luz é fundamental, pois há grande probabilidade dos indivíduos jovens, ainda pequenos, estarem sombreados. Mudas jovens de Anadenanthera falcata Benth. Speg. (Mimosoideae), Stryphnodendron adstringens Mart. Coville (Mimosoideae), Cybistax antisyphilitica, (Mart) Mart. (Bignoniaceae) e Copaifera langsdorffii Desf. (Caesalpinioideae) e Eriotheca gracilipes (K.Schum) A.Robins (Bombacaceae) foram cultivadas sob 60% de irradiância (sombrite) e posteriormente levadas a pleno sol em área da Universidade Federal de São Carlos (21o58?-22o00? S e 47o51?-47o52? W), cidade de São Carlos, São Paulo, Brasil. Após obtenção de curvas luz-fotossíntese e massa específica foliar (MEF) em ambas as condições, foram determinados valores de fotossíntese máxima, por área (Amaxa) e por massa (Amaxm) de folha, ponto de compensação à luz (PCL), radiação que satura a fotossíntese (RSF), respiração no escuro (Re) e eficiência quântica aparente (EQA). Os resultados indicaram que as espécies estudadas mostraram-se mais adaptadas à luz plena, contudo, todas apresentam plasticidade foliar, alterando a morfologia (MEF), assimilação de carbono (Amax, Re) e captura de luz (PCL, EQA) quando em condições de baixa radiação. As espécies estudadas são capazes de se desenvolverem em áreas parcialmente sombreadas sendo, portanto, capazes de ocupar diferentes tipos fisionômicos de cerrado. Os resultados revelam também a importância da determinação da MEF nesses estudos, uma vez que somente quando se considera esse atributo pode-se ver com clareza as alterações ecofisiológicas sofridas (Embrapa CNPM).
Thesagro: Cerrado.
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CNPM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
007.pdf41,92 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace