Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/944392
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 8-Jan-2013
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: FERNANDES, M. M.
VENTURIERI, G. C.
JARDIM, M. A. G.
Informaçães Adicionais: MARÍLIA MOREIRA FERNANDES, UFRA; GIORGIO CRISTINO VENTURIERI, CPATU; MARIO AUGUSTO GONÇALVES JARDIM, MPEG.
Título: Biologia, visitantes florais e potencial melífero de Tapirira guianensis (Anacardiaceae) na Amazônia Oriental.
Edição: 2012
Fonte/Imprenta: Revista de Ciências Agrárias, Belém, PA, v. 55, n. 3, p. 167-175, jul./set. 2012.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Morfologia
Planta apícola
Recursos florais.
Conteúdo: Tapirira guianensis Aubl. é uma espécie arbórea, dioica, abundante nas florestas secundárias da Amazônia Oriental. Foram investigadas a biologia floral e a abundância e a riqueza dos visitantes florais, buscando informações para evidenciar o caráter generalista e a influência do tamanho dos insetos na visitação e no potencial melífero da espécie. O estudo foi realizado no Campus Experimental da Embrapa Amazônia Oriental, em Belém- PA, Brasil. Foram analisadas a fenologia e a morfologia floral, e realizados o teste de receptividade estigmática e as medições do volume e concentração de néctar, além da coleta e da identificação de visitantes florais. T. guianensis possui alta receptividade de estigma, ficando exposta aos visitantes por seis dias. Possui néctar com concentrações médias de açúcares nas flores estaminadas e pistiladas de 36,05 e 13,75% e volumes médios de 1,07 e 1,68 μL/flor, respectivamente. O volume do néctar por flor é considerado alto quando comparado ao de outras espécies de Anacardiaceae e sua concentração média é apreciada pelas abelhas. As ordens Hymenoptera, Hemiptera e Diptera apresentaram maior abundância, destacando-se a família Apidae com maior riqueza. O mais abundante visitante e potencial polinizador foi Trigona williana, em decorrência da presença de um ninho próximo aos indivíduos estudados; no entanto, esse fenômeno necessitará de futuros estudos para avaliar o nível de interferência da proximidade de ninhos naturais na visitação das plantas. T. guianensis é uma espécie primariamente melitófila, com recursos disponíveis para atrair uma grande diversidade de visitantes pequenos e generalistas, que poderão contribuir com a polinização.
NAL Thesaurus: Amazonia.
Ano de Publicação: 2012
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
57426771PB.pdf920,85 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace