Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/994626
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 9-Set-2014
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: CASTRO, V. C. G. de
FERNANDES, P. C. C.
LOURENÇO JUNIOR, J. de B.
ARAÚJO, G. S.
Informaçães Adicionais: Vinícius Costa Gomes de Castro, BOLSISTA PIBIC; PAULO CAMPOS CHRISTO FERNANDES, CPATU; Jose de Brito Lourenço Júnior, UFPA; Geisielly Sousa Araújo, UFPA.
Título: Avaliação da estratificação do conteúdo ruminal de bubalinos suplementados com farelo de amêndoa de dendê.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 18.; SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, 2., 2014, Belém, PA. Anais. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2014.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Efeito-estufa
Enchimento ruminal
Nutrição de ruminante
Conteúdo: Avaliou-se o efeito da suplementação do farelo de amêndoa de dendê, correlacionando com a cinética ruminal, através da estratificação do rúmen e quantificação do volume ocupado pelo conteúdo sólido, líquido e gasoso. O experimento foi conduzido na Unidade de Pesquisa Animal Senador Álvaro Adolpho da Embrapa Amazônia Oriental em Belém, Pará. Foram utilizados quatro bubalinos fistulados no rúmen mantidos em pastagem cultivada com capim Panicum maximum Jacq cv Mombaça em sistema silvipastoril. Os tratamentos experimentais foram a suplementação com um quilograma de farelo de amêndoa de dendê comparado à dieta controle sem suplementação. O conteúdo ruminal foi quantificado em porções sólidas e líquidas e amostrado para determinação de matéria seca. O espaço vazio ruminal foi mensurado com o Método das Bolas. As áreas ocupadas pelas porções sólida, líquida e vazia do rúmen não foram afetada pela suplementação. A porção vazia do rúmen ocupou a menor parte do conteúdo, variando entre 0,007 e 0,017 m3. A porção sólida e líquida do conteúdo ruminal em matéria seca variou entre 6,71 e 9,63 kg nos diversos tratamentos. A conclusão foi que o tempo de esvaziamento não influenciou a estratificação do conteúdo ruminal nas porções líquidas, sólidas e gasosas.
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Pibic55.pdf141,59 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace