Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1031823
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amazônia Ocidental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2015
Type of Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Authors: SILVA, L. de J. de S.
MENEGHETTI, G. A.
MIRANDA, T. N. de O.
Additional Information: LINDOMAR DE JESUS DE SOUSA SILVA, CPAA; GILMAR ANTONIO MENEGHETTI, CPAA; Tania Nazarena de Oliveira Miranda, Doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA – UFPA).
Title: A importância da organização coletiva para autonomia dos extrativistas da castanha-do-brasil: um estudo sobre atores e redes no município de Lábrea/AM.
Publisher: In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA: POLÍTICA E CONFLITOS CONTEMPORÂNEOS, 2015, Belém, PA. Anais... Belém, PA: GETTAM: NAEA: UFPA, 2015. p. 383-393.
Language: pt_BR
Keywords: Extrativista
Organização coletiva
Redes sociais
SIALAT 2015
Description: O município de Lábrea/AM, localizado às margens do rio Purus, apresenta forte vocação para a produção de castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa). O processo de autonomia dos extrativistas tem bons resultados criando possibilidades de superação da dependência dos coletores aos patrões, marreteiros e comerciantes. A pesquisa resulta do trabalho que vem sendo desenvolvido na região, atribui-se as mudanças ocorrida nas comunidades extrativistas, à existência de organizações coletivas como Associação dos Produtores Agroextrativistas da Colônia do Sardinha (ASPACS), criado em 1997 e a Cooperativa Mista Agroextrativista Sardinha (COOPMAS), criada em 2008. Esse processo de autonomia formado por organizações civis e religiosas está relacionado à abertura de novos mercados, a densidade organizativa e a articulação na diversificação da produção e articulação da instituição. Hoje a cooperativa e associação possui mais de 500 filiados, compra-se direto dos extrativistas; contribui para regular o preço da castanha no município e atualmente comercializa para São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Velho. Nossa analise é exploratória-descritiva, com uso da metodologia de redes, com as ferramentas de investigação: Análise de Redes Sociais (ARS), e adoção do software UCINET, entrevistas com atores envolvidos na rede de comercialização da castanha. A pesquisa está em desenvolvimento e busca resultados capazes de relacionar a organização com a perspectiva do bem estar comunitário.
Data Created: 2015-12-16
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPAA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SEMINARIOSIALATLindomar.pdf17,84 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace