Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/530775
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Caprinos e Ovinos - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2002
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: PINHEIRO, R. R.
ALVES, F. S. F.
ANDRIOLI, A.
GOUVEIA, A. M. G
Additional Information: RAYMUNDO RIZALDO PINHEIRO, CNPC
ALICE ANDRIOLI, CNPC
FRANCISCO SELMO FERNANDES ALVES, CNPC
UFMG.
Title: Risco relativo da transmissão do lentivírus caprino nos rebanhos do Estado do Ceará.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA, 29., 2002, Gramado, RS. Saúde ambiental, animal e humana: uma questão de sobrevivência: anais. Gramado: Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, 2002. 1 CD ROM.
Language: pt_BR
Notes: 1 CD-ROM 0023.
Keywords: Brasil
Ceará.
Description: Foi avaliado o risco relativo da transmissão do Lentivírus Caprino (LVC) nos rebanhos do Estado do Ceará. Analisaram-se 4019 amostras de soro caprino de 130 criatórios localizados em 30 municípios, através do teste de IDGA. As amostras foram coletadas em diferentes faixas etárias, tipos raciais e ambos sexos. Os dados foram analisados pelo programa Epi-Info 6.02. A prevalência da infecção do LVC foi de 1% considerando todos os tipos raciais de caprinos testados. O risco relativo de se adquirir um animal do sexo masculino positivo para LVC é em média 3 vezes maior que uma fêmea. Se considerarmos um reprodutor, este risco aumenta para 4,4 vezes. No caso de um reprodutor adulto com relação a um macho jovem, este risco chega a 11,7 vezes. Com relação ao tipo racial verificou-se que o risco relativo de encontrar um animal de raça exótica positivo no Ceará é em média 42,3 vezes maior que um mestiço. Em decorrência de não se verificar animais SRD com anticorpos contra LVC não foi possível estabelecer o risco relativo. Averiguando o tronco racial dos animais exóticos se for europeu ele terá em média 4,2 vezes maior risco de possuir o LVC que o africano. Analisando a idade observa-se que o risco relativo médio aumenta com o evoluir da faixa etária de 0,35 vezes; 0,85 vezes e 0,82 vezes na evolução das seguintes faixas: 0,5-1 ano pra 1-2 anos, 1-2 anos para 2-3 anos e 2-3 anos para acima de 3 anos, respectivamente. Animais com sintomatologia clínica (artrite) da enfermidade têm em média um risco de ter anticorpos contra o LVC 55,9 vezes maior que aqueles que não apresentam problemas articulares. Conclui-se que o risco relativo de encontrar animais positivos para LVC é maior nos machos (reprodutores adultos), em raça exótica e animais com problemas articulares.
Thesagro: Caprino
Transmissão de Doença.
NAL Thesaurus: Lentivirus.
Data Created: 2004-10-14
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RACRiscorelativo.pdf327,88 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace