Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/748329
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amapá - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Issue Date: 2009
Type of Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Authors: BARRETO, M. C.
Additional Information: Milza Costa Barreto, Embrapa Amapá.
Title: 100 anos de (im)permanência de Euclides da Cunha: Amazônia e Nordeste.
Publisher: In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL, 2009, Cantagalo, RJ. 100 Anos sem Euclides da Cunha: anais. Cantagalo, RJ: UERJ: UFRJ, 2009.
Pages: p. 1-9
Language: pt_BR
Keywords: Seringueiros
Sertão nordestino.
Description: O trabalho investiga o pensamento de Euclides da Cunha sobre a mão-de-obra dos nordestinos dos sertões empregada nos seringais amazônicos. Segundo Cunha (1966) “O sertanejo emigrante realiza uma anomalia sobre a qual nunca é demasiado insistir: é o homem que trabalha para escravizar-se. Enquanto o colono italiano se desloca de Gênova a mais remota fazenda de São Paulo, paternalmente assistido pelos nossos poderes públicos, o cearense efetua, à sua custa, desamparado, uma viagem mais difícil, em que os adiantamentos feitos pelos contratadores insaciáveis, inçados de parcelas fantásticas e de preços inauditos, o transformam as mais das vezes em devedor para sempre insolvente”. O recurso metodológico se baseia na análise da migração nordestina para a Região Norte, Amazônia, como fonte de mão-de-obra empregada na cultura da seringueira (Hevea brasiliensis) e pesquisa bibliográfica para seleção de citações e pensamentos euclidianos sobre a temática em foco. No Nordeste, a imagem dos latifúndios litorâneos, com imensos canaviais e, também, a aridez das terras sem água dos sertões. Em contraste, a ilusão, na Amazônia, de uma vida menos árdua nos campos de seringais, que na prática, significou o regime de semi-escravidão dos sertanejos. Segundo Rabello (1983): “Não é para admirar que a Amazônia fosse, uma outra Canaã para as populações flageladas do Nordeste. Mas o que esperava o emigrante sertanejo estava longe de corresponder ao seu sonho. A Amazônia era mesmo uma miragem para os que alugavam os braços nos seringais”. Na prática, o emprego dos sertanejos nos seringais ocorreu em condições desumanas, pouca alimentação, doenças e, principalmente, o desaparecimento dos sonhos de fortuna e bem-aventurança. Nesse contexto, desmistificando a colonização da Amazônia pelos homens dos Sertões, Euclides da Cunha revela a realidade socioeconômica brasileira.
NAL Thesaurus: Amazonia.
Year: 2010-04-30
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPAF-AP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AP2009amazonianordeste.pdf39,74 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace