Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1010971
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Florestas - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 9-Mar-2015
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: GARCIA, L. G.
FERRAZ, S. F. de B.
ALVARES, C. A.
FERRAZ, K. M. P. M. de B.
HIGA, R. C. V.
Informaçães Adicionais: Lara Gabrielle Garcia, Universidade de São Paulo; Silvio Frosini de Barros Ferraz, Professor do Departamento de Ciências Florestais - USP; Clayton Alcarde Alvares, Pesquisador Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais - Piracicaba, SP; Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz, Professora do Departamento de Ciências Florestais - USP; ROSANA CLARA VICTORIA HIGA, CNPF.
Título: Modelagem da aptidão climática do Eucalyptus grandis frente aos cenários de mudanças climáticas no Brasil.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 42, n. 103, p. 503-511, dez. 2014.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Modelo de distribuição de espécie
Nicho ecológico
Maxent.
Conteúdo: O presente trabalho teve como objetivo mapear as áreas aptas ao material de origem do Eucalyptus grandis Hill ex Maiden no Brasil para o clima atual, e predizer possíveis mudanças nestes locais frente os cenários climáticos futuros. Para tal se utilizou a Modelagem de Distribuição de Espécies (MDE), gerando áreas potenciais na Austrália e projetando-as para o Brasil no tempo presente e futuro, utilizando-se o princípio da máxima entropia (Maxent, 3.3.3k.). Foram utilizados 70 pontos de ocorrência natural da espécie na Austrália e sete variáveis bioclimáticas, sendo: temperatura média anual, variação da temperatura anual, precipitação anual, precipitação do mês mais chuvoso, precipitação do mês mais seco, variação da precipitação e altitude. Para a modelagem do clima atual, o período de tempo utilizado foi de 1950 a 2000. As projeções climáticas foram retratadas por meio do cenário A1B e o modelo HadCM3 para os três períodos de tempo: 2010 - 2039, 2040 - 2069 e 2070 - 2099. Todos os modelos foram significativos (p<0,001), apresentaram elevados valores de AUC (> 0,95) e baixos erros de omissão. A área adequada para o material genético testado no Brasil no tempo presente foi de, aproximadamente, 1.500.000 km², concentrando-se nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. Para os cenários futuros a mesma área sofreu redução de 2,8, 4,7 e 3,8% para os cenários 2010 - 2039, 2040 - 2069 e 2070 - 2099, respectivamente. As principais mudanças foram a diminuição da área na região sudeste e aumento na região norte. Para os cenários futuros, a modelagem mostrou uma diminuição da área total da espécie. Embora novas áreas tenham sido consideradas aptas, houve uma diminuição das áreas já conhecidas como adequadas. O uso da modelagem pode ser útil no planejamento do melhoramento genético e na expansão do material genético para novas regiões, além de auxiliar na identificação de áreas em que a cultura se torne mais vulneráveis ao clima, doenças e pragas.
Thesagro: Eucalyptus Grandis
Mudança Climática
Zoneamento Climático.
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
cap04.pdf1,11 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace