Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1019624
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Cerrados - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 9-Jul-2015
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: CELESTINO, S. M. C.
MALAQUIAS, J. V.
XAVIER, M. F. F.
Informaçães Adicionais: SONIA MARIA COSTA CELESTINO, CPAC; JUACI VITORIA MALAQUIAS, CPAC; MANAIRA FERREIRA FRANCO XAVIER, CPAC.
Título: Agrupamento de acessos de café irrigado com melhores atributos para bebida.
Edição: 2015
Fonte/Imprenta: Coffee Science, Lavras, v. 10, n. 1, p. 131-137, jan./mar. 2015.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Torração do café
Estresse hídrico controlado.
Conteúdo: A Embrapa Cerrados possui um Banco Ativo de Germoplasma de Coffea arabica L. com 900 acessos cultivados com a tecnologia do Estresse Hídrico Controlado com pivô central, sendo 30 deles considerados produtivos. Objetivou-se, neste trabalho, proceder ao agrupamento desses acessos produtivos de cafeeiro e posterior identificação de grupo(s) de acessos com os melhores atributos para bebida, além de determinar a contribuição relativa das propriedades físico-químicas e químicas para a divergência genética relacionada com a qualidade da bebida. Os frutos cereja das 30 cultivares foram processados por via seca. Parte dos grãos de café das 30 cultivares foi submetida à torração clara e parte permaneceu como matéria crua. O método de Singh foi utilizado para verificar o quanto as características pH, acidez total titulável, sólidos solúveis, proteína e polifenóis contribuem para a divergência genética observada entre os 30 acessos de café avaliados. A análise de Cluster permitiu a organização das cultivares de café homogêneas em quatro grupos (Clusters), sendo tal homogeneidade referente aos valores de variação das propriedades químicas e físico-químicas antes e após a torração, responsáveis pelo corpo e doçura da bebida (sólidos solúveis), pela acidez (acidez total titulável e pH), pelo sabor (polifenóis) e pelo aroma (proteína), sendo a menor redução de sólidos solúveis, o maior aumento de acidez, o menor aumento de polifenóis e a maior redução de proteína desejáveis para a escolha de cafés de qualidade. A variável polifenóis apresentou a maior contribuição para a diversidade genética com 28,84%, seguida de pH, proteína, sólidos solúveis e acidez com contribuições expressivas de 19,23%, 19,11%, 17,79% e 15,03%, respectivamente. O grupo 4, constituído pelos acessos Icatu 2944, MG0188, MG1177 e Topázio foi o mais promissor no que concerne à qualidade da bebida, pois esses acessos se caracterizaram pelo maior acréscimo na acidez total titulável e maiores reduções do teor de proteína após a torração. Esse grupo também apresentou valores de redução de sólidos solúveis e aumento de polifenóis após a torração mais apropriados ao consumo que os apresentados pelos demais grupos.
Thesagro: Café
Coffea Arábica
Composição Química.
Ano de Publicação: 2015
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CPAC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ArtigoAgrupamentoSonia.pdf855,06 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace