Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1085139
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Semiárido - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2017
Type of Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Authors: ANTUNES, G. dos R.
SANTOS, J. M. R.
SILVA, T. R. da
CARVALHO, B. R.
FERNANDES JUNIOR, P. I.
Additional Information: GABIANE DOS REIS ANTUNES, Bolsista Capes; JOÃO MARCOS RODRIGUES DOS SANTOS, Estagiário da Embrapa Semiárido/UPE; THAISE ROSA DA SILVA, Estagiário da Embrapa Semiárido/UPE; BEATRIZ RODRIGUES CARVALHO, Estagiário da embrapa Semiárido/UPE; PAULO IVAN FERNANDES JUNIOR, CPATSA.
Title: Caracterização bioquímica de bactérias isoladas de coroa de frade (melocactus sp.) no Semiárido Pernambucano.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 20; SIMPÓSIO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESERTIFICAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, 5., 2017, Juazeiro, BA. A agrometeorologia na solução de problemas multiescala: anais. Petrolina: Embrapa Semiárido; Juazeiro: UNIVASF; Campinas: Sociedade Brasileira de Agrometeorologia, 2017.
Language: pt_BR
Keywords: Cora de frade
Ácido indol-3-acético
Bioma caatinga
Cactáceas
Planta da Caatinga
Description: Objetivou-se avaliar a produção de ácido indol-acético de bactérias, isoladas a partir da Coroa de frade (Melocactus sp.). Para as avaliações foram coletadas três amostras de raízes de Coroa de Frade (Melocactus sp.) de duas áreas diferentes. O isolamento das bactérias, as raízes foram lavadas e, desinfestadas. As amostras foram fragmentadas e diluídas, em meio semissólido BMGM e aqueles que desenvolveram película foram considerados positivos para determinação das populações de bactérias diazotróficas e foram purificadas em placas de Petri contendo meio Dyg's. Posteriormente foi realizada a caracterização bioquímica dos isolados, avaliando a produção do ácido indol-acético. Todos os 38 isolados foram capazes de produzir AIA ?in vitro? na presença e ausência de L-triptofano. O isolado C1 produziu cerca de 53% a menos de ácido indol-acético, enquanto que nos resultados do isolado C39 a produção é cerca de 300% maior em relação a bactéria referência. No que diz respeito a ausência do precursor, o isolado C1 produziu cerca de 60% a menos de ácido indol-acético quando comparado a bactéria de referência (Azospirillum), já o isolado C39 produziu cerca de 250% a mais que a bactéria referência. Bactérias endofíticas isoladas de Coroa de Frade são capazes de produzir ácido indol-acético na presença e ausência de seu principal precursor.
Thesagro: Fixação de Nitrogênio
Bacteria
Raiz
Recurso Natural
NAL Thesaurus: Melocactus
Data Created: 2018-01-12
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATSA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PauloIvan1.pdf146,16 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace