Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1138677
Title: Zonas de vigor vegetativo para colheita seletiva em viticultura irrigada com base em sensoriamento proximal.
Authors: COSTA, B. R. S.
Affiliation: BRUNO RICARDO SILVA COSTA, UNESP.
Date Issued: 2021
Citation: 2021. 228 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Faculdade de Ciências Agronômicas, Unesp, Botucatu.
Description: RESUMO: O conceito de agricultura de precisão (AP) tem sido empregado na viticultura tendo em vista a adoção de práticas de manejo sítio-específico a partir da caracterização da variabilidade espacial das áreas cultivadas. Neste sentido, o vigor vegetativo das videiras pode ser adotado como uma variável regionalizada representativa da condição dos vinhedos, uma vez que expressa a interação dos diversos fatores ambientais predominantes nesses sistemas agrícolas. Em razão da sua relevância para adoção de práticas de AP, o vigor vegetativo pode ser monitorado intensivamente por tecnologias de georreferenciamento e sensoriamento que permitem a estimativa e predição espacial de índices de vegetação (IV). Desta forma, o presente estudo teve como objetivo caracterizar a variabilidade das condições edafoclimáticas de vinhedos comerciais, bem como do vigor vegetativo de videiras viníferas a partir de estimativas do índice de vegetação por diferença normalizada no vermelho limítrofe (NDRE) e do índice de vegetação por diferença normalizada (NDVI). A pesquisa foi conduzida durante os ciclos de produção de 2018 e 2019 em três vinhedos comerciais irrigados, e implantados com as cultivares Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (Vitis vinifera L.), ambas submetidas ao manejo de dupla-poda anual. O solo dos vinhedos foi avaliado conforme a granulometria e os atributos físico-hídricos relacionados ao armazenamento e disponibilidade de água. Por sua vez, as condições mesoclimáticas foram monitoradas ao longo dos ciclos de produção, durante o período anterior e posterior ao início da maturação das bagas (veraison). Os vinhedos também foram caracterizados quanto ao número de graus dias demandado pelas cultivares para conclusão do ciclo fenológico, bem como no que se referiu à dinâmica do armazenamento de água no solo. Para a caracterização do vigor vegetativo, os IV adotados foram estimados a partir da reflectância (ρ) do dossel das videiras, mensurada via sensoriamento proximal em três ocasiões ao longo do período de desenvolvimento e maturação dos cachos. A partir da estimação geoestatística, as predições espaciais dos IV foram avaliadas segundo a similaridade entre medidas realizadas em diferentes fases do ciclo e sua estabilidade espaço-temporal. Os resultados interpolados dos IV também foram usados na delimitação de zonas homogêneas (ZH) e posterior zonas de manejo (ZM), para subdivisão dos vinhedos em regiões de baixo e alto vigor vegetativo. Essas regionalizações foram validadas de acordo com parâmetros biofísicos, relacionados ao vigor e conteúdo de água na folha, e aspectos produtivos das videiras, bem como quanto à composição de bagas e umidade da camada superficial do solo, capacidade de armazenamento de água e lâmina de irrigação requerida. Além disso, testou-se o potencial da colheita seletiva de cachos para a diferenciação qualitativa de vinhos, conforme as ZH do vigor vegetativo deduzido segundo o NDVI, estimado no período de início de maturação de bagas. Em um mesmo vinhedo, foi possível identificar condições do solo semelhantes ao longo do perfil, além de um padrão regular quanto a dinâmica de armazenamento de água ao longo dos ciclos de produção. Além disso, apesar das variações interanuais no acúmulo de graus dias correspondente a cada cultivar, o sistema de dupla-poda adotado localmente permitiu que as cultivares de videiras fossem submetidas as condições mesoclimáticas estáveis, porém distintas entre si, ao se comparar o período anterior e posterior ao veraison. Em vinhedos cultivados com variedades vigorosas, cujo desenvolvimento se encontra consolidado, as predições do NDRE e NDVI apresentaram elevada estabilidade temporal, espacial e similaridade no padrão de distribuição dos valores interpolados estimados em fases avançadas do ciclo de produção. Contudo, foi possível verificar a adequabilidade da caracterização da expressão vegetativa dos vinhedos conforme a metodologia adotada nesse estudo, uma vez que foram observadas diferenças significativas entre regionalizações do vigor quanto às variáveis de validação. Além disso, a representação da variabilidade do vigor vegetativo também apresentou potencial para orientar a colheita seletiva de cachos e a obtenção de vinhos de composição distinta em um mesmo vinhedo.
Keywords: Viticultura de precisão
Uva Cultivo
Índice de Vegetação por Diferença Normalizada
Solos irrigados
Language: Portugues
Notes: Orientador: Luís Henrique Bassoi, Embrapa Instrumentação.
Type of Material: Teses
Access: openAccess
Appears in Collections:Tese/dissertação (CNPDIA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
costa-brs-dr-botfca.pdf19,51 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace