Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/12681
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Meio Ambiente - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 1-Jul-1997
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: SOUZA, M. D. de
BACCHI, O.O.S.
REICHARDT, K.
HERMES, L. C.
ABAKERLI, R.B.
Informaçães Adicionais: MANOEL DORNELAS DE SOUZA, CNPMA; O.O.S. BACCHI, CENA/USP; K. REICHARDT, CENA/USP; LUIZ CARLOS HERMES, CNPMA; ROSANGELA BLOTA ABAKERLI, CENA/USP.
Título: Movimento da atrazina numa terra roxa estruturada eutrófica.
Edição: 1997
Fonte/Imprenta: Scientia Agricola, Piracicaba, v.54, n.esp., p.116-120, 1997.
Idioma: en
Palavras-chave: Herbicida
Propriedades físicas
Propriedades químicas
Adsorção
Dessorção
Contaminação
Água subterrânea
Conteúdo: Verificou-se o deslocamento de atrazina no perfil do solo, em função do movimento da água e do tempo de aplicação, e possíveis influencias de fluxos preferenciais sobre a lixiviação. O trabalho foi conduzido em uma Terra Roxa Estruturada eutrófica de textura argilosa, em Piracicaba-SP, no período de junho de 92 a fevereiro de 93. Foram instalados 2 experimentos, sendo um com a cultura do milho irrigado (experimento 1) e o outro em solo nu (experimento 2). O experimento 1 foi instalado em uma área de 1000m2 sobre a qual se demarcou duas parcelas de 12m x 12m separadas uma da outra por 18m. Uma parcela foi irrigada e a outra fertirrigada . O experimento 2 foi instalado em duas parcelas de 7m x 7m, separadas uma da outra por 5m. Em uma das parcelas do experimento 2 aplicou-se previamente 1000kg de calcario/ha para elevar a saturação de bases para 88%, alem de 500kg de gesso/ha. Cada parcela do experimento 2 foi constituída de 3 linhas de instrumentos e os resultados obtidos para cada linha foram comparados entre si para verificação de fluxo preferencial. A atrazina foi aplicada na dosagem de 6,3l/ha no experimento 1 e 6kg do principio ativo/ha no experimento 2. Os resultados mostraram intensa lixiviação da atrazina em todo o perfil do solo ate 150cm de profundidade já na primeira coleta efetuada 7 dias apos a aplicação. A parcela 2 do experimento 2 , apesar de não ter recebido calcario, mostrou perdas de atrazina por lixiviação muito maiores que a parcela 1. O solo apresentou pequena capacidade de adsorção de atrazina (máximo em torno de 10% na camada de 0-30cm).
Ano de Publicação: 1997
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CNPMA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1997SP005NDSousaMovimento3280.PDF452,94 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace