Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/15484
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Meio Ambiente - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Date Issued: 2005
Type of Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Authors: CERDEIRA, A. L.
PESSOA, M. C. P. Y.
SANTOS, N. A. G.
LANCHOTE, V. L.
Additional Information: ANTONIO LUIZ CERDEIRA, CNPMA; MARIA CONCEICAO PERES YOUNG PESSOA, CNPMA; Neife Aparecida Guinaim dos Santos, FCF-USP; Vera Lucia Lanchote, Departamento de Análises Clínicas, Toxicológicas e Bromatológicas, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, USP, Ribeirão Preto.
Title: Lixiviação de atrazina em solo em área de recarga do Aquífero Guarani.
Publisher: Revista Brasileira de Herbicidas, v. 2, p. 92-101, 2005.
Language: pt_BR
Keywords: Avaliação de risco
Agroquímicos
Risco ambiental
Qualidade de água.
Description: No Aqüífero Guarani, o maior e mais importante lençol de água subterrânea de toda a região centro-sul do país, encontra-se a microbacia do Córrego do Espraiado, um dos seus pontos de recarga. Nesta área, existe predomínio de culturas, nas quais são utilizados herbicidas da família das triazinas e a presença de solo arenoso, que tornam a área vulnerável à lixiviação. Entre os produtos aplicados encontra-se a atrazina (2-chloro-4-(ethylamino)-6-(isopropylamino)-S-triazine). Devido as suas características físico-químicas, esse herbicida tem alto potencial de risco de movimentar-se para água subterrânea. Para avaliar a lixiviação da atrazina foram feitas amostragens de solo para análise física e de água superficial e subterrânea, durante os anos de 2000 a 2002, para análise de resíduo através de cromatografia líquida HPLC (High Performance Liquid Chromatography), e confirmadas com GC-MS (Gas chromatography-mass spectrometry). Apenas quatro amostras de água superficial apresentaram resíduos de atrazina. Destas, duas com 0,04; e as outras com 0,05 e 0,09 ug/L. Nas amostras de água subterrânea os resultados indicaram uma amostra contendo 0,03 ug/L de atrazina. Entretanto, nenhuma delas foi confirmada pelo GC-MS, não indicando resíduos. A presente avaliação contou também com o uso do simulador de sistemas CMLS-94 (Chemical Movement in Layered Soils). O simulador também mostrou que a atrazina não atinge profundidades comprometedoras para a qualidade do aquífero.
Thesagro: Contaminação
Método
Simulação.
Data Created: 2007-06-19
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPMA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2005AP045.pdf39,47 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace