Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/48465
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Pecuária Sudeste - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 1-Jan-2002
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: NICODEMO, M. L. F.
VINHOLIS, M. de M. B.
SANTOS, P. M.
RASSSINI, J. B.
PORFIRIO-DA-SILVA, V.
FREITAS, A. R.
Informaçães Adicionais: MARIA LUIZA FRANCESCHI NICODEMO, CPPSE; MARCELA DE MELLO BRANDAO VINHOLIS, CPPSE; PATRICIA MENEZES SANTOS, CPPSE; JOAQUIM BARTOLOMEU RASSINI, CPPSE/SÃO CARLOS,SP.; VANDERLEY PORFIRIO DA SILVA, CNPF; ALFREDO RIBEIRO DE FREITAS, CPPSE/SÃO CARLOS,SP.
Título: Sobrevivência inicial de espécies florestais nativas em sistemas agrossilvipastoris.
Edição: 2008
Fonte/Imprenta: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 45., 2008, Lavras, MG. Anais... Lavras: SBZ: UFLA, 2008
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Árvores nativas
Pecuária
Sistemas silvipastoris
Conteúdo: A seleção de espécies florestais adequadas é fundamental para o sucesso dos sistemas silvipastoris, capazes de diversificar a produção e melhorar o bem-estar animal e a proteção ambiental na pecuária. O objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência inicial aos 50 dias das mudas de espécies florestais nativas escolhidas pelo valor econômico e aporte de nitrogênio. Mudas foram plantadas em faixas com três linhas de árvores. As áreas de 15 m entre as faixas de árvores foram ocupadas por sorgo ou pastagem ou adubos verdes. As taxas médias de sobrevivência, cinqüenta dias após o plantio, foram: mutambo (Guazuma ulmifolia) 79,1 %; capixingui (Croton florisbundum) 77,6 %; angico-branco (Anadenanthera colubrina) 82,0 %; canafístula (Peltophorum dubium) 96,4 %, ipê-felpudo (Zeyheria tuberculosa) 75,9 %; jequitibá-branco (Cariniana estrellensis) 89,4 % e pau-jacaré (Piptadenia gonoacantha) 66,9 %. Mutambo e capixingui foram utilizadas como tutoras. As taxas médias de sobrevivência nas áreas de pasto, de sorgo e de adubos verdes foram de 76,7 %, 85,4 % e 79,4 %, respectivamente. As espécies com alto valor comercial da madeira, canafístula e jequitibá-branco, apresentaram uma boa taxa de sobrevivência, mesmo quando não se utilizou gel condicionador. A aquisição de prática pela equipe de plantio influenciou as taxas de sobrevivência das mudas: 61,10 % de sobrevivência nas seis primeiras linhas e 88,90 % nas últimas seis linhas plantadas, considerando as 21 linhas do experimento de pasto.
Ano de Publicação: 2008
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPPSE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PROCIMLFN2008.00029.pdf141,87 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace