Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/487140
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Milho e Sorgo - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 19-Set-2003
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: SANTOS, M.X. dos
ANDRADE, C. de L. T. de
OLIVEIRA, A. C. de
LEITE, C.E.P.
CARVALHO, H.W.L.
GAMA, E.E.G. e
PACHECO, C. A. P.
GUIMARAES, P. E. O.
PARENTONI, S. N.
Informaçães Adicionais: Embrapa Milho e Sorgo.; CAMILO DE LELIS TEIXEIRA DE ANDRADE, CNPMS; ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA, CNPMS; CLESO ANTONIO PATTO PACHECO, CNPMS; PAULO EVARISTO DE O GUIMARAES, CNPMS; SIDNEY NETTO PARENTONI, CNPMS.
Título: Comportamento de híbridos de milho selecionados e não selecionados para ASI sob estresse de água no florescimento e no enchimento de grãos.
Edição: 2003
Fonte/Imprenta: Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 2, n. 2, p. 71-81, maio/ago. 2003.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Milho
Tolerancia
Seca
Estresses abioticos
Conteúdo: A seca é um dos principais estresses abióticos que reduzem a produção do milho. Essa redução depende do estádio de desenvolvimento da cultura e da duração do período do estresse de água na planta. A sincronia de florescimento masculino e feminino (ASI) tem sido relatada como de fácil medição e correlacionada negativamente com a tolerância a seca. O objetivo deste trabalho foi verificar o comportamento de híbridos originários de linhagens selecionadas e não selecionadas para ASI, sob condições de estresse de água, no período de florescimento/enchimento de grãos. As lâminas de irrigação aplicadas foram medidas em baterias de 16 coletores em cada experimento. No ensaio com estresse, as irrigações foram interrompidas aos 55 dias após o plantio (dap) e reiniciadas aos 90 dap. Para avaliar o nível do estresse hídrico aplicado, monitorou-se a umidade do solo nas camadas de 0 a 20, 20 a 40 e 40 a 60 cm do perfil do solo, empregando-se o método gravimétrico. Foram utilizados dez híbridos não selecionados para ASI (NSASI), cinco híbridos com 100% ASI, cinco híbridos com 50% ASI e duas testemunhas comerciais. Em ambos os ensaios, o delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso, com três repetições e a parcela foi formada por duas fileiras de 5 m de comprimento. Foram encontradas diferenças significativas (P<0,01) para todas as características avaliadas em cada ambiente e para peso de grãos, número de espigas e altura de plantas na análise conjunta. Os híbridos com 100% ASI mostraram, em média, ASI zero e manifestaram protoginia e os demais apresentaram protandria. Os híbridos NSASI apresentaram redução média de 62% na produtividade e os híbridos com 100% ASI e 50% ASI mostraram reduções médias de 44,8% e 54%, respectivamente. As produtividades médias mais altas dos híbridos com ASI, na condição de estresse de água, parecem estar mais associadas com o número de espigas do que com a características ASI.
Ano de Publicação: 2003
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPMS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Comportamentohibridos.pdf404,29 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace