Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/979446
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Solos - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 11-Fev-2014
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: NASCIMENTO, A. F. do
FURQUIM, S. A. C.
COUTO, E. G.
BEIRIGO, R. M.
OLIVEIRA JUNIOR, J. C. de O.
CAMARGO, P. B. de
VIDAL-TORRADO, P.
Informaçães Adicionais: ALEXANDRE FERREIRA DO NASCIMENTO, CNPS; Sheila Aparecida Correia Furquim, UNIFESP; Eduardo Guimarães Couto, UFMT; Raphael Moreira Beirigo, ESALQ/USP; Jairo Calderari de Oliveira Júnior, ESALQ/USP; Plínio Barbosa de Camargo, CENA/USP; Pablo Vidal-Torrado, ESALQ/USP.
Título: Genesis of textural contrasts in subsurface soil horizons in the northern Pantanal-Brazil.
Edição: 2013
Fonte/Imprenta: Revista Brasileira de Ciências do Solo, v. 37, p. 1113-1127, 2013.
Páginas: 15p.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Solos aluviais
Solos hidromórficos
Sistema deposicional fluvial
Leque aluvial
Avulsão
Conteúdo: O Pantanal caracteriza-se por ser uma planície inundável quaternária, com sedimentação predominantemente na forma de leques aluviais. Na evolução geomorfológica e sedimentar, é inerente a esse sistema deposicional o processo de avulsão, cuja dinâmica, associada aos fluxos de águas superficiais de cheias, impõe diferenças sedimentares importantes nessa planície. O entendimento e a diferenciação desses dois eventos podem ajudar na compreensão da variabilidade dos atributos e da distribuição dos solos associados a esses processos sedimentares. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi estudar a gênese de solos do Pantanal Norte que apresentam contrastes texturais em profundidade e sua relação com a dinâmica do sistema deposicional. Quatro perfis foram estudados na região de Barão de Melgaço, MT (RPPN SESC Pantanal), dois próximos ao rio Cuiabá (AP1 e AP4) e dois próximos ao rio São Lourenço (AP10 e AP11). No AP11, os horizontes apresentam contrastes granulométricos desde a base do perfil até a superfície. No AP1, AP4 e AP10, os horizontes sobrejacentes a uma camada arenosa possuem granulometria semelhante entre si, principalmente na distribuição de areia. No primeiro caso, os fluxos de cheias, ou seja, de águas superficiais, parecem ter originado os horizontes e as camadas contrastantes na textura; no segundo, a avulsão é o processo mais evidente. Dessa forma, as duas vias podem formar solos com contrastes texturais e é possível distingui-los no campo pela morfologia, pois possuem peculiaridades que estão associadas aos processos sedimentares responsáveis pelos depósitos.
Ano de Publicação: 2013
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigoalexandre1.pdf1,97 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace