Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/984879
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amapá - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 22-Abr-2014
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: LIMA, J. de F.
SANTOS, T. dos S.
Informaçães Adicionais: JO DE FARIAS LIMA, CPAF-AP.
Título: Aspectos econômicos e higiênico-sanitários da comercialização de camarões de água doce em feiras livres de Macapá e Santana, Estado do Amapá.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: Biota Amazônia, Macapá, v. 4, n. 1, p. 1-8, 2014.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Higiene da feira
Conteúdo: No Estado do Amapá, o comércio de camarões de água doce é realizada em feiras livres, bares, restaurantes, supermercados e peixarias, onde envolve um número significativo de pessoas denotando sua importância social e econômica. A venda de camarões de água doce e seus derivados tem crescido substancialmente nas últimas décadas. No entanto, os protocolos de preparação, manuseio e conservação realizados sem considerações de higiene muitas vezes faz o consumo de camarões perigosos para os consumidores. O objetivo deste estudo foi diagnosticar os aspectos higiênico-sanitários no comércio de camarão de água doce, além de descrever a variação do preço e dinâmica de fornecimento desse camarão, em feiras populares das cidades de Macapá e Santana entre Fevereiro e novembro de 2011. O ambiente visual, a construção, a instalação, o equipamento, o mobiliário e utensílios, a presença de vetores e pragas urbanas, o abastecimento de água, a gestão de resíduos e os manipuladores foram analisados de acordo com base nas recomendações da Resolução - RDC no. 216/04 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Os resultados demonstram que, apesar de a comercialização de camarão se movem quantidades significativas de recursos, as feiras Macapá e Santana não mostraram condições de infra-estrutura e higiene adequados. A manipulação inadequada e higiene observada pode afetar a qualidade bioquímica e microbiológica de camarões comercializados e facilitar a transmissão de patógenos para os consumidores. As variações de preços dos camarões ao longo do ano estão diretamente relacionados com as variações sazonais de oferta, tamanho e formas de comercialização, demonstrando claramente a ocorrência de um período de safra na região. Macrobrachium amazonicum foi a espécie com maior variação de volume e de preço durante o estudo. Afuá foi a região com maior oferta em volume de camarões durante o estudo.
Thesagro: Crustáceo
Comercialização
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CPAF-AP)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CPAFAP2014Aspectoseconomicosehigienicos.pdf250,57 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace