Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/994264
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 4-Set-2014
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: SOUSA, S. H. B. de
MATTIETTO, R. de A.
NASCIMENTO, W. M. O.
SOUZA, E. K. A.
Informaçães Adicionais: Sérgio Henrique Brabo de Sousa, BOLSISTA PIBIC; RAFAELLA DE ANDRADE MATTIETTO, CPATU; WALNICE MARIA O DO NASCIMENTO, CPATU; Elaine K. A. Souza, ESTAGIÁRIA CPATU.
Título: Caracterização físico-química e funcional de diferentes genótipos de camu-camu (Myrciaria dubia (H.B.K.) Mc Vaugh).
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 18.; SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, 2., 2014, Belém, PA. Anais. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2014.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Camu-camu
Compostos bioativos
Variabilidade genética.
Conteúdo: O camu-camu é um fruto nativo da região Amazônica, sendo reconhecido como uma das maiores fontes de vitamina C na atualidade. Além dessa excepcional característica, apresenta em sua composição compostos bioativos que fazem deste fruto uma matéria-prima potencial para a indústria de alimentos. A Embrapa Amazônia Oriental possui um Banco Ativo de Germoplasma de camu-camu e a identificação de genótipos quanto às características físico-químicas e funcionais é importante no apoio ao melhoramento genético da espécie. Neste estudo, avaliaram-se oito genótipos (polpa e casca separadamente), sendo que dois foram ainda submetidos a um processamento, onde a casca foi incorporada a polpa. Os resultados quanto à caracterização físico-química mostraram que os genótipos indicaram médias de sólidos solúveis de 6,76 a 9,96ºBrix e pH de 2,53 a 3,13, caracterizando a forte acidez dos frutos (teores entre 2,13 a 3,24%). Quanto aos compostos bioativos, observou-se na polpa teores de vitamina C entre 11,73 a 36,17 g/100g e antocianinas totais de 12,66 a 131,64 mg/100g. A casca do camu-camu concentra a maior parte das antocianinas do fruto, com teores variando entre 16,07 a 174,74 mg/100g. Observou-se diferença significativa (Tukey p≤0,05) entre a maioria dos genótipos estudados e que o processamento proporcionou um aumento de antocianinas na polpa. Dessa forma, conclui-se que identificação de genótipos é importante para o lançamento de cultivares em potencial.
Thesagro: Composição Química
Polpa.
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Pibic8.pdf164,28 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace