Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/948747
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMIURA, J.
dc.date.accessioned2018-08-24T00:52:40Z-
dc.date.available2018-08-24T00:52:40Z-
dc.date.created2013-02-07
dc.date.issued2012
dc.identifier.citation2012.
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/948747-
dc.descriptionAs tecnologias de informação e comunicação, surgidas no contexto da Web 2.0, trazem novas dimensões para a interação e a participação pelo compartilhamento de dados e de conhecimentos entre seus usuários. Com uma perspectiva relacional ampliada, cientistas e instituições de pesquisa, ao explorarem as perspectivas abertas pelo mundo digital, iniciam um movimento chamado de Ciência 2.0, que tem a colaboração em seu cerne. A principal proposta é que as facilidades de comunicação entre os cientistas e ainda com o público podem abrir novos caminhos para a concepção, o desenvolvimento e a comunicação da ciência, por serem capazes de dar nova dimensão à colaboração, ao trabalho em comunidades on-line e à inteligência coletiva. Para traçar um panorama de como esse modelo de ciência está se desenvolvendo em Portugal e no Brasil, são analisados os 25 Laboratórios Associados portugueses e 22 instituições brasileiras de pesquisa, para identificar os recursos digitais adotados, os objetivos com que foram implantados e seus resultados, num cenário onde profissionais e não-especialistas têm iguais possibilidades de participar da construção do conhecimento. A análise dos níveis de interação e de participação proporcionados ao público é feita de acordo com os conceitos relacionados à cultura da convergência, em classificação proposta por Henry Jenkins - convergência dos meios, cultura participativa e inteligência coletiva - numa tentativa de entender como a ciência está se alterando com a adoção de ferramentas cognitivas, capazes de estabelecer novo patamar de relacionamento com seus públicos. Como resultado, apresenta-se a análise dos primeiros passos das instituições brasileiras e portuguesas no universo da Ciência 2.0, pela qual se verificou que em mais da metade dos casos foi adotada alguma tecnologia de comunicação e informação , em geral, para divulgação de seus resultados. Para completar este estudo, foi desenvolvida uma plataforma com a qual buscou-se comprovar o poder da coletividade em questões relacionadas à ciência e a disposição das pessoas em contribuir para a construção do conhecimento.
dc.languagept_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectInteligência coletiva
dc.subjectCultura participativa
dc.subjectCultura de convergência
dc.titleOs desafios para construção de uma Ciência 2.0.
dc.typeTeses
dc.date.updated2018-08-24T00:52:40Zpt_BR
dc.subject.thesagroTecnologia da informação
dc.subject.thesagroComunicação
dc.description.notesDissertação (Mestrado em Multimédia) - Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Porto.
dc.format.extent2186 f.
riaa.ainfo.id948747
riaa.ainfo.lastupdate2018-08-23
dc.contributor.institutionJULIANA MIURA, SCT.
Appears in Collections:Tese/dissertação / Embrapa Unidades Centrais (AI-SEDE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MIURAJ..pdf2,02 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace